fbpx
Cuide-se

Morador de Salto morre após contrair febre maculosa

A vítima teria relatado parasitismo por carrapatos em 12 de julho de 2018 e faleceu nove dias depois
Morador de Salto morre após contrair febre maculosa
A febre maculosa é transmitida pelo carrapato-estrela infectado por uma bactéria. Crédito da foto: Reprodução

Um homem de 35 anos da idade morreu de febre maculosa, em Salto. A doença é transmitida pelo carrapato-estrela infectado por uma bactéria.

A confirmação ocorreu sexta-feira (2) pela Prefeitura de Salto que na sexta-feira (2). Foi o primeiro caso de morte ocorrido neste ano, após investigação e resultado da sorologia.

Segundo informações da família, o homem morava no bairro Itapecerica. Ele teria relatado parasitismo por carrapatos em 12 de julho de 2018 e faleceu nove dias depois.

A família informou à Prefeitura de Salto que o homem foi parasitado durante o trabalho. Ele atuava na construção de cercas nas margens do lago da propriedade.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Salto, o filho da vítima apresentou sintomas semelhantes. Ele recebeu o tratamento em tempo oportuno e se encontra bem.

Com a confirmação do caso, a Secretaria da Saúde notificou a Superintendência de Controle de Endemias (Sucen). O órgão é ligado à Secretaria de Estado da Saúde.

De janeiro a 31 de julho de 2019, foram notificados 11 casos de febre maculosa em Salto. Desses, oito foram descartados, um confirmado (óbito) e dois aguardam resultados.

A Secretaria de Saúde salienta que a população de carrapatos no ambiente aumenta significativamente nos meses de maio até outubro. Nesse período ocorre o maior número de casos da doença. “Dessa forma, recomendamos que a população evite frequentar locais com probabilidade de haver carrapatos. A lista inclui áreas de pastagem, trilhas em matas, margens de rios e lagos”, comenta o governo.

Histórico de casos em Salto

O último caso de morte por febre maculosa foi registrado há um ano em Salto. Desde então, a Prefeitura firmou convênio com o Instituto Biológico de Campinas para realizar ações de combate ao carrapato-estrela.

Outras medidas foram implantadas, como a instalação de placas indicativas em locais de possível parasitismo. Também foram colocadas cercas em locais que ficam às margens de rios e lagos para coibir a presença de capivaras, hospitaleiras do carrapato-estrela.

Sobre a febre maculosa

Febre maculosa brasileira é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela ou micuim da espécie Amblyomma cajennense infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii. Esse carrapato hematófago pode ser encontrado em animais de grande porte (bois e cavalos), cães, aves domésticas, roedores e, especialmente, na capivara, o maior de todos os reservatórios naturais. (com informações da Prefeitura de Salto)

Leia mais  Risco de morte por febre amarela pode ser identificado
Comentários