Cuide-se

Como identificar os sintomas de um AVC

Dor de cabeça súbita, intensa, fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna estão entre os sinais
Como identificar os sintomas de um AVC
Exames de imagem permitem identificar a área do cérebro que foi afetada. Crédito da foto: Divulgação

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) acontece em razão de uma alteração do fluxo de sangue para o cérebro. Responsável pela morte de células nervosas da região cerebral atingida, pode se originar de uma obstrução de vasos sanguíneos, o chamado Acidente Vascular Isquêmico (AVI), ou de uma ruptura do vaso, conhecido por Acidente Vascular Hemorrágico (AVH). “O AVI é responsável por 85% dos casos de AVC. Ele se dá quando acontece o entupimento dos vasos cerebrais, impedindo a passagem de oxigênio para células cerebrais, podendo ser devido a uma trombose ou embolia. E, o AVH é, na maioria das vezes, o rompimento dos vasos sanguíneos no interior do cérebro, a denominada hemorragia intracerebral. Em outros casos, acontece a hemorragia subaracnoide (sangramento na área cerebral chamada de espaço subaracnóideo)”, explica a médica fisiatra Matilde Sposito, especialista em bloqueios neuroquímicos.

Leia mais  Usar banheiro público exige cuidados

Principais sinais

Os principais sinais de alerta para qualquer tipo de AVC são: alteração na visão, do equilíbrio, coordenação, tontura ou dificuldade em andar. Confusão mental, alteração da fala ou compreensão, dor de cabeça súbita, intensa e sem causa aparente e fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo.

Existem diversos fatores que aumentam a probabilidade da ocorrência de um AVC. “Muitos casos podem ser prevenidos, como, por exemplo, aqueles relacionados ao diabetes, colesterol alto, tabagismo, hipertensão, sobrepeso, obesidade e sedentarismo. Todas essas condições podem ser evitadas, diminuindo drasticamente as chances de um AVC. Entretanto, existem outras causas que aumentam os riscos do problema e não podem ser modificadas, tais como: idade avançada, histórico familiar da doença e ser do sexo masculino, onde é mais prevalente, por isso, é tão importante a prevenção”, enfatiza a especialista.

Leia mais  Como aliviar os efeitos do isolamento

O diagnóstico é feito por meio de exames de imagem, que permitem identificar a área do cérebro que foi afetada e o tipo de derrame cerebral ocorrido. A tomografia computadorizada de crânio é o método de imagem mais utilizado para a avaliação inicial.

Prevenção

Como para todos os males, a melhor forma de combater o AVC é a prevenção. “Manter uma vida saudável, com uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos regularmente, não consumir álcool ou drogas ilícitas, além de não fumar e beber bastante água são atitudes que previnem, não só o acidente vascular cerebral, como também a maioria das doenças. A adequação dos hábitos de vida é primordial para a prevenção e a manutenção da boa saúde”, orienta a especialista.

A médica ainda alerta que o AVC é uma emergência médica. “Ao menor sinal, é preciso procurar o hospital mais próximo com urgência, para um diagnóstico completo e o tratamento adequado. O diagnóstico precoce e o atendimento imediato salvam vidas e evitam sequelas”, destaca. (Da Redação)

Comentários
Leia mais  Como evitar dor de cabeça na quarentena