Buscar no Cruzeiro

Buscar

Geral

Operação na Nova Cracolândia tem 20 presos

Operação realizada na Praça Princesa Isabel, no centro de São Paulo, teve como alvo traficantes

11 de Maio de 2022 às 12:11
Cruzeiro do Sul [email protected]
Operação Nova Cracolândia
Operação Nova Cracolândia (Crédito: Reprodução/Twiter)

Cerca de 650 policiais civis e militares iniciaram na madrugada desta quarta-feira (11), uma nova fase da operação contra o tráfico de drogas na Nova Cracolândia, no centro de São Paulo. O foco foi a Praça Princesa Isabel, para onde traficantes e dependentes químicos migraram em março. Pelo menos 20 pessoas foram presas. Guarda Civil Metropolitana e funcionários da Prefeitura também participam da ação.

A movimentação começou por volta das 4h30. Moradores contam que foram acordados com o barulho de helicópteros que sobrevoavam a região, mas afirmam que não houve confrontos. De acordo com Alexis Vargas, secretário executivo de Projetos Estratégicos da Prefeitura de São Paulo, o objetivo é cumprir 36 mandados de prisão e retirar as barracas onde é realizada a venda de drogas a céu aberto.

Os vinte detidos foram levados para o 77º DP, na região de Santa Cecília. Também foram apreendidos pacotes de drogas e balanças. Policiais também se concentram na Praça Júlio Prestes, o antigo endereço da Cracolândia. O objetivo é impedir a volta dos usuários à região da estação da Luz. A ação faz parte da Operação Caronte, que combate o tráfico de drogas na região.

Por causa da ação, diversas ruas do centro foram bloqueadas e linhas de ônibus estavam sendo desviadas em razão de ação policial na Av. Rio Branco com a Pça. Princesa Isabel e na Rua Helvétia com a Rua Guaianases. No início da manhã, 30 linhas chegaram a ser desviadas.

Neste mês, numa tentativa de dar resposta rápida à alta de roubos e furtos, o governador Rodrigo Garcia (PSDB) mudou os comandos das Polícias Civil e Militar. A saída do tráfico das ruas Cleveland, Dino Bueno e Helvétia e na praça Júlio Prestes, que era o coração da Cracolândia, foi motivada por uma ordem, em meados de março, da facção criminosa que comanda o tráfico no centro da cidade.

Em abril, o Estadão mostrou que a mudança de endereço dos traficantes e usuários de drogas da Luz para a Praça Princesa Isabel, no centro de São Paulo, inverteu o cotidiano das duas regiões. Quem vive perto do novo local de comércio de drogas relata alta de roubos e furtos. Já os moradores do entorno da antiga Cracolândia contam que conseguem dormir mais e melhor sem o barulho das brigas dos dependentes químicos. (Estadão Conteúdo)