Exterior

Ventos dificultam combate a incêndios na Califórnia, que deixam 44 mortos

Mais de 5.100 bombeiros de todo o país buscam conter as chamas
Carro destruído pelo fogo em Paradise, na California. Crédito da foto: Josh Edelson / AFP

Os bombeiros combatem, em meio a fortes ventos, os incêndios que devastam o norte e sul da Califórnia e deixam ao menos 44 mortos, entre eles o “Camp Fire”, o mais fatal da história deste estado da costa oeste dos Estados Unidos. Milhares de bombeiros lutaram pelo quinto dia consecutivo para conter o incêndio “Camp Fire”, aos pés das montanhas de Sierra Nevada e ao norte da capital estadual Sacramento, que deixa 42 mortos, enquanto equipes de emergência se dedicam à tarefa de localizar vítimas.

Controlado em apenas 25%, o “Camp Fire” é o maior de vários focos ativos no estado, que provocaram a fuga de mais de 250 mil pessoas e que são avivados por ventos de quase 100 quilômetros por hora. O “Camp Fire” é também o mais devastador registrado na região: destruiu 45.000 hectares e 6.500 casas na cidade de Paradise, no condado de Butte, praticamente apagando-a do mapa.

Mais de 5.100 bombeiros de todo o país buscam conter as chamas, enquanto equipes de busca apoiadas por antropólogos e por um laboratório de DNA tentam identificar os restos, às vezes reduzidos a um punhado de cinzas. Ao menos 44 pessoas morreram nos incêndios do norte e sul da Califórnia.

O presidente Donald Trump declarou “uma grande catástrofe no estado da Califórnia e ordenou ajuda federal adicional” para as áreas afetadas, informou a Casa Branca. A medida libera fundos para os condados de Butte, Los Angeles e Ventura.

Os automóveis que ficaram presos nas chamas foram reduzidos a esqueletos de metal, e pilhas de escombros queimam onde antes havia residências, das quais em alguns casos restam uma parede de tijolos ou uma chaminé.

‘Novo anormal’

No sul do estado, os bombeiros lutam contra o “Woolsey Fire”, que destruiu mansões e trailers na turística Malibu, lar de muitas celebridades. Embora tenha um tamanho similar ao do “Camp Fire”, esse incêndio é muito menos destrutivo, e deixou um balanço de dois mortos.

Incêndio Califórnia
Mais de seis mil casas foram destruídas na cidade de Paradise – Crédito da foto: Robyn Beck /AFP

As autoridades afirmaram que a propagação das chamas foi mais rápida desta vez. “Este não é novo normal, este é o novo anormal. E este novo anormal continuará nos próximos 10, 15 ou 20 anos”, disse o governador da Califórnia, Jerry Brown. “Infelizmente, a melhor ciência nos diz que o calor, a seca, todas estas coisas ficarão mais intensos”, alertou.

Enquanto os moradores da área de Malibu conseguiram retornar para suas casas no fim da noite de domingo, na cidade de Calabasas, mais ao nordeste, os habitantes receberam novas ordens de evacuação. O “Woolsey Fire”, controlado em 30%, consumiu 37.000 hectares e destruiu 370 imóveis, segundo o Departamento de Bombeiros da Califórnia (Cal Fire).

Leia mais  Incêndio no norte da Califórnia vira o maior da história do estado

 

A residência da cantora Miley Cyrus foi uma das destruídas pelo incêndio. “Totalmente devastada pelos incêndios que afetam minha comunidade. Sou uma das que teve sorte. Meus animais e o AMOR DA MINHA VIDA conseguiram sair com segurança e isto é tudo que importa agora”, escreveu no Twitter. “Minha casa não existe mais, mas as memórias compartilhadas com parentes e amigos permanecem forte” completou.

Um terceiro incêndio, o “Hill Fire”, no condado de Ventura, ao noroeste de Los Angeles e Malibu, estava controlado em 75%. (AFP)

Comentários