Exterior

Peru recupera manuscrito valioso sobre os incas perdido há 140 anos

O manuscrito "Memórias da monarquia peruana ou esboço da história dos incas" foi escrito na década de 1830 por Justo Apu Sahuaraura Inca
Peru recupera manuscrito valioso sobre os incas perdido há 140 anos
O manuscrito foi extraído da Biblioteca Nacional durante a ocupação de Lima, entre 1881 e 1883. Crédito da foto: Cris Bouroncle / AFP (20/2/2020)

O Peru recuperou um valioso manuscrito, encontrado no Brasil, com as memórias de antigos governantes incas que tinha desaparecido durante a ocupação de Lima pelas tropas chilenas na Guerra do Pacífico (1879-1884).

O manuscrito “Memórias da monarquia peruana ou esboço da história dos incas” foi escrito na década de 1830 por Justo Apu Sahuaraura Inca (1775-1853), descendente por linha materna do imperador inca Huayna Cápac (1493-1525) e do príncipe Cristóbal Paullo Inca (1518-1549).

“O valor deste documento do ano de 1838 é incalculável. Sempre se considerou uma joia documental extremamente rara, não temos outro caso desta natureza”, disse à AFP Gerardo Trillo, diretor de Proteção de Coleções da Biblioteca Nacional, ao apresentar nesta quinta-feira (20) o valioso manuscrito encontrado no Brasil.

Império Inca

Membro da nobreza indígena de Cusco, sacerdote católico e herói da Independência do Peru, Sahuaraura se dedicou a resgatar a memória do Império Inca, que cobriu nos séculos XV e XVI a zona ocidental da América do Sul, do sul da Colômbia ao centro de Chile. O pesquisador costumava se autodenominar o “último descendente da linhagem imperial dos incas”.

O manuscrito foi extraído da Biblioteca Nacional durante a ocupação de Lima, entre 1881 e 1883, pelo Exército chileno, na Guerra do Pacífico, que Peru e Bolívia lutaram contra o Chile. “No processo, desapareceu da biblioteca e chegou ao Chile, mas não foi parar em sua biblioteca, mas nas mãos de colecionadores”, explicou Trillo.

Entrega

Em novembro de 2019, a família brasileira Mindlin aceitou entregar o valioso manuscrito que possuía desde 1970 à Biblioteca Nacional do Peru. Isso foi feito através do consulado peruano em São Paulo.

Leia mais  Justiça manda demolir hotel em Cusco por destruir muros incas

 

Foi uma década de gestões para que este manuscrito seja devolvido. Inclusive, convidamos quem possuía para contribuir com a memória histórica dos peruanos. Nesses termos a devolução foi feita”, explicou Trillo. De volta à Biblioteca Nacional de Lima, o manuscrito foi digitalizado e pode ser consultado pela internet. (AFP)

Comentários