Exterior

Nuvem de gafanhotos é filmada no nordeste da Argentina

Os insetos podem alcançar o Rio Grande do Sul, segundo o Ministério da Agricultura

Uma nuvem de gafanhotos foi filmada em Santa Lucia, província de Corrientes, no nordeste da Argentina. O responsável pela imagem parece estar dentro de um veículo, em uma estrada, e demonstra ter ficado impressionado com a cena.

No vídeo, o morador da Argentina narra com perplexidade o que vê no céu. “Alguma movimentação de gafanhotos em Santa Lucia, Corrientes… Veja isso. Olha essa nuvem negra! Gafanhoto… Olha… impressionante! Que loucura! Parece o fim no mundo. Diga-me, porque é muito difícil entender… Olha, olha, olha… estou embaixo dos gafanhotos, impressionante! Gafanhoto, borboleta, não sei o que é. Que loucura! olha… é coisa de louco!”

A caminho do Brasil

Segundo a ministra da Agricultura do Brasil, Teresa Cristina, a nuvem de gafanhotos pode estar a caminho do Brasil. Na segunda-feira (22), autoridades do governo da Argentina informaram que os insetos levantaram voo na província de Corrientes e que pode atravessar a fronteira com o Rio Grande do Sul.

Em comunicado, o governo da província de Córdoba informou que, em um quilômetro quadrado de nuvem, pode haver cerca de 40 milhões de insetos, com capacidade de consumir em um dia o equivalente ao que duas mil vacas poderiam comer no mesmo período.

Pelo Twitter, Teresa Cristina disse que o governo já monitora a situação. “Montamos já um plano de monitoramento, para acompanhar o deslocamento desses gafanhotos. A gente espera que ele não chegue ao Brasil, mas todas as ações que podem ser tomadas, já tem um grupo de acompanhamento e as ações que podem ser implementadas caso isso aconteça”, afirmou.

De acordo com a Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentícia da Argentina), os insetos seguiram na direção sul e devem chegar à província de Entre Ríos.

Origem no Paraguai

Segundo as autoridades argentinas, a nuvem teve origem no Paraguai e vem atravessando o país desde a semana passada, apesar de já terem identificado um grupo de gafanhotos no final de maio. Nesse meio tempo, lavouras de milho foram totalmente destruídas pela praga. (Da Redação e Estadão Conteúdo)

Comentários