Exterior

Biden tenta controlar venda de armas

Biden tenta controlar venda de armas
Presidente disse que os EUA vivem “epidemia” de armas. Crédito da foto: Brendan Smialowski / AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, emitiu ontem decretos para tentar ampliar o controle da venda de armas no país. No anúncio das medidas, o democrata declarou a violência armada uma epidemia e um constrangimento internacional. “Esta é uma epidemia, pelo amor de Deus, e tem de parar”, disse.

No mesmo dia, uma pessoa foi morta e outras cinco ficaram feridas por um atirador em Bryan, no Texas. Na quarta-feira, outras cinco foram executadas na Carolina do Sul. Em março, massacres registrados no Colorado e na Geórgia chocaram os americanos e deixaram 18 vítimas.

Biden vinha sendo pressionado a agir. As medidas de ontem são limitadas e chamadas pela Casa Branca de “apenas o começo”. Para avançar, o presidente precisará dos congressistas. “Quer o Congresso aja ou não, vou usar todos os recursos à minha disposição como presidente para manter o povo americano a salvo da violência armada.”

Leia mais  OMS acredita que pandemia pode ser contida em meses

Entre as medidas anunciadas está a tentativa de deter as chamadas “armas fantasmas”, construídas a partir de peças avulsas e instruções obtidas na internet, impossíveis de rastrear. (Da Redação)

Comentários