Exterior

75 anos da 2º Guerra Mundial são lembrados na Europa

Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump depositou uma coroa de flores no monumento à 2ª Guerra Mundial, em Washington
Britânicos foram incentivados a comemorar a data respeitando o distanciamento social. Crédito da foto: Tolga Akmen / AFP

Governantes europeus pediram nesta sexta-feira (8), 75º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, que o continente resgate o espírito de 1945 para lutar contra a pandemia do novo coronavírus. Já o presidente americano, Donald Trump, afirmou que seu país, o mais atingido, vencerá esta luta.

“Não temos que aceitar que a ordem e a paz estabelecidas a partir de 1945 se evaporem diante de nossos olhos”, afirmou o presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, em um discurso em Berlim. “Queremos mais e não menos cooperação no mundo, inclusive na luta contra a pandemia”, completou.

Na mesma linha, em Londres, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, recordou em uma mensagem aos veteranos da guerra que a luta contra o coronavírus “exige o mesmo espírito de esforço nacional encarnado há 75 anos”.

A rainha Elizabeth II disse, em mensagem aos britânicos, que não se deve “perder a esperança”. Os britânicos foram incentivados a comemorar a data respeitando o distanciamento social

“No começo, as perspectivas pareciam sombrias; a saída, distante; o resultado, incerto’, comentou, lembrando a Segunda Guerra Mundial. “Mas continuamos acreditando que a causa era justa, e esta convicção nos sustentou. Nunca percam a esperança, esta era a mensagem do Dia da Vitória na Europa.”

Leia mais  A 100 dias das eleições americanas, Trump aposta na "maioria silenciosa"

O discurso foi gravado no castelo de Windsor, a cerca de 40 km de Londres, onde a monarca, 94, e o marido, 98, instalaram-se quando a pandemia começou.

Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump depositou uma coroa de flores no monumento à Segunda Guerra Mundial, em Washington. “Esta data nos lembra que nenhum desafio é maior do que a determinação do espírito americano. Nos últimos meses, nossa nação enfrentou uma adversidade notável durante a pandemia do novo coronavírus. Mas como já fizemos tantas vezes, os Estados Unidos vencerão”, afirmou.

Em Paris, o presidente francês, Emmanuel Macron, presidiu uma cerimônia curta ao pé do Arco do Triunfo, praticamente vazio. O chefe de Estado depositou flores diante da estátua do general Charles De Gaulle e percorreu Champs Elysées.

Ao redor do mundo, as restrições decretadas para conter a pandemia do novo coronavírus, que matou quase 270.000 pessoas, reduziram os eventos ao mínimo, com cerimônias transmitidas ao vivo pela Internet. (AFP)

Comentários