Esporte

Um mês após queda no Mundial, Vadão é demitido do comando da seleção feminina

O treinador vivia a sua segunda passagem pelo cargo, que ele reassumiu em 2017
Foto: Fernanda Coimbra / CBF

Um mês depois de a seleção brasileira feminina de futebol ter sido eliminada pela França nas oitavas de final do Mundial, o técnico Vadão foi demitido nesta segunda-feira (22) do comando da equipe nacional. O treinador vivia a sua segunda passagem pelo cargo, que ele reassumiu em 2017, e agora teve o seu novo ciclo encerrado pela CBF.

Procurado pela reportagem do Estado, ele confirmou nesta tarde que não ocupa mais o posto. “Procede a informação da minha saída, só que hoje eu não vou falar com a imprensa. Ainda tenho de voltar para a CBF amanhã. Estou aqui no Rio ainda para finalizar alguns detalhes (de sua demissão), mas a minha saída é certa sim”, revelou o comandante, por meio de uma mensagem de WhatsApp.

Leia mais  Após Mundial Feminino, caminho está aberto para o talento das meninas do Brasil

 

E pouco depois da confirmação por parte do treinador, a CBF divulgou nota em seu site para oficializar a demissão. “Após um ano e dez meses, em sua segunda passagem pela CBF, o técnico Oswaldo Alvarez, Vadão, deixa o comando da seleção brasileira feminina”, informou a entidade, que depois lembrou da trajetória do técnico à frente da equipe nacional, inicialmente comandada por ele em um período entre 2014 e 2016. Ele saiu do posto após a Olimpíada do Rio, mas o reassumiu em setembro de 2017.

“Vadão dirigiu a seleção nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, ficando em quarto lugar, e em duas edições de Copas do Mundo, no Canadá em 2015 e na França em 2019. Conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015, além de duas Copas Américas, em 2014 e 2018, sendo que esta última garantiu a vaga no Mundial da França e nas Olimpíadas de Tóquio-2020”, completou a CBF.

Por fim, a nota destacou que a entidade “está trabalhando para a definição do próximo nome a dirigir a seleção feminina principal no prazo mais curto possível”. “Agradecemos ao treinador Vadão pelo trabalho e dedicação, reiterando por ele nosso respeito pessoal e profissional”, encerrou.

Somando as suas duas passagens pela seleção feminina, o treinador comandou a equipe nacional em 56 jogos, nos quais acumulou 35 vitórias, cinco empates e 16 derrotas. E nove destas derrotas ocorreram em uma incrível sequência negativa que marcou o período de preparação do Brasil para o Mundial, no qual o time de Vadão encerrou a péssima fase ao superar a Jamaica por 3 a 0 na estreia da competição realizada na França.

Depois disso, a equipe de Marta foi derrotada por 3 a 2 pela Austrália e em seguida superou a Itália por 1 a 0 para avançar às oitavas de final, fase em que foi eliminada seleção francesa ao ser batida por 2 a 1, em resultado definido apenas na prorrogação, no último dia 23 de junho, em Le Havre. (Estadão Conteúdo)

Comentários

CLASSICRUZEIRO