Esporte

Jovens atletas renovam a tradição do bicicross em Sorocaba

Os pequenos Heitor, de 7 anos, e Lucas, de 8, mantém a cidade no topo da categoria
Heitor e Lucas treinam na pista do Clube Sorocabano de Bicicross. Crédito da foto: Erick Pinheiro

“Sorocaba é o maior celeiro do bicicross no Brasil”, dizia o multicampeão da modalidade e agora empresário Ricardo Perez, na última terça-feira, enquanto doava 10 novas bicicletas ao Clube Sorocabano de Bicicross. O nome dele, quando se fala em BMX, é sinônimo de sucesso devido à gloriosa trajetória no esporte. É daqueles que o currículo dispensaria apresentações: construiu a pista da cidade, faturou o Campeonato Brasileiro três vezes, o Pan-Americano e o Sul-Americano cinco vezes cada, além de dirigir a seleção brasileira.

A frase de Perez faz sentido. Desde que ele encerrou oficialmente a carreira, a cidade não parou de revelar bons atletas na modalidade. Carregaram Sorocaba em pódios mundo afora nomes como o da própria filha de Ricardo, Mayara Perez, Bianca Quinalha (ambas já não competem mais), Robinson Palomar, Rodrigo Alarcon, Thiego Tosta, os irmãos Douglas e Priscilla Stevaux (ainda em atividade e sexta colocada no ranking mundial) e outros tantos. Mas, e atualmente? Hoje, dois pequeninos em estatura, porém gigantes dentro das pistas, têm sido os responsáveis pelas alegrias sob duas rodas: Heitor Moreira Loterio, de 7 anos, e Lucas Cardoso Darriba, de 8, são as apostas — para não dizer realidades — do BMX local.

Aptidão para esporte desde cedo

Lucas faturou o título mundial da sua categoria em junho. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Mesmo com pouca idade, Lucas salta sem medo. Os raios de sol da tarde quente de terça preenchiam as rodas da bike de quem é um verdadeiro raio o guidão ao alcance das mãos. “Esse aí é tão competitivo que não aceita perder nem par ou ímpar”, conta a mãe, Caroline Cardoso Darriba. E a competitividade teve frutos: faturou o título mundial em junho deste ano, no Azerbaijão, na sua categoria (Garotos 8 Anos). Um mês depois, veio o ouro no Campeonato Brasileiro. Já havia ganho, também, um Campeonato Latino-Americano e um Sul-Americano, além de liderar o Paulista.

“Desde os 4 anos de idade, vimos que ele tinha aptidão para o esporte, mas o Lucas não gostava de futebol e natação”, diz Caroline.

Segundo ela, apesar da dedicação, Lucas ainda não tem tanta noção da importância de se conquistar um campeonato mundial, por exemplo. “Para ele é tipo “fui lá e ganhei”, como se tivesse feito brincando.” A mãe, junto do pai Evandro e do outro filho, Matheus, 12, que também compete, estão sempre presentes, torcendo pelas glórias do garoto. “É exaustivo acompanhar em treinos e competições, mas quando vemos a felicidade, o sorriso dele, tudo compensa”, avalia.

Dedicação e incentivo da família

Heitor começou no BMX aos 4 anos. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Ainda mais baixinho, Heitor, assim como Lucas, também se cobra feito gente grande. Tanto que, enquanto a reportagem acompanhava o treino por mais de uma hora, ele foi sincero com o fotógrafo Erick Pinheiro, do Cruzeiro do Sul. “Tio, você pode tirar a foto de novo? Eu estava muito cansado, não consegui pular muito alto.”

O garoto começou no BMX aos 4 anos. “Por influência de um tio dele, que era do ciclismo de rua. O tio o ensinou a andar e, na semana que o Heitor tirou a “rodinha”, já estava aqui na pista”, conta a mãe, Flaviana Loterio. Heitor passou a disputar competições nacionais no ano passado — antes, concorria apenas em campeonatos regionais. Neste ano, colheu o maior fruto até aqui: o título brasileiro.

“Eu nem queria que ele disputasse o Brasileiro, com medo de que ficasse decepcionado com uma derrota. Mas, ele foi lá e ganhou”, comenta, orgulhosa.

Flaviana, em dia de competições, admite que vive um misto de sensações, com o marido Fábio e a outra filha, Heloísa. “Ao mesmo tempo que estou falando “arrebenta filho, corre”, penso: “vai um pouco mais devagar””, afirma, aos risos, garantindo que hoje em dia está “mais quietinha”. O incentivo da família, pontua, tem a própria vontade de Heitor como limite. “Se ele não quiser treinar, a gente não força. Mas é raro, até quando está chovendo eu tenho que mostrar o áudio do pessoal dizendo que não vai ter treino para ele acreditar.”

Cidade recebe etapa do Campeonato Paulista

Sorocaba recebe, neste fim de semana, a sexta etapa do Campeonato Paulista de Bicicross, na pista de Pinheiros (rua Paulo Setúbal, s/n). Os treinos oficiais começam hoje, das 14h30 às 17h30. Amanhã, haverá mais treinos oficiais, das 8h às 10h10 e, então, terão início as provas. A expectativa é de que mais de 300 pilotos participem. As outras etapas foram em Poços de Caldas (MG), Jacareí, Jarinu, Paulínia e Cosmópolis. A entrada é gratuita.

Formando atletas há 30 anos

Clube sorocabano recebeu doação de 10 bicicletas. Crédito da foto: Erick Pinheiro

O Clube Sorocabano de Bicicross foi fundado em 1986, tendo justamente Ricardo Perez como um dos “cabeças”. A presidente é sua mãe, Cida Comitre, que comanda o projeto com aproximadamente 70 pilotos. Os treinos são às terças e quintas-feiras, das 9h às 10h30, e das 15h às 16h30.

Qualquer criança pode participar, bastando comparecer à pista no dia das atividades, acompanhada de um responsável legal. Será entregue um formulário de inscrição e os interessados precisam apresentar um atestado médico para começar os treinamentos.

Vocação se estende a Votorantim

Os ciclistas Kauê e Murilo, da Associação Votorantinense de Bicicross. Crédito da foto: Divulgação / Secom Votorantim

Votorantim também tem motivos para comemorar em relação ao bicicross — modalidade conhecida mundialmente como BMX. O piloto Murilo Camargo Arcuri, de 10 anos, da cidade, foi outro a participar do Mundial deste ano e alcançou a quinta posição na sua categoria, na primeira vez que um representante do município chegou à final da competição. Ele faz parte do projeto mantido pela Prefeitura em parceria com a Associação Votorantinense de Bicicross.

Além de Murilo, outro garoto da cidade esteve no Azerbaijão: Kauê de Souza Leal, de 11 anos, chegou às quartas de final das categorias Cruiser 12 anos e Boys 11 anos.

Comentários