Esporte São Bento

Silas é apresentado no São Bento e comanda 1º treino nesta terça (12)

Novo técnico tem a missão de livrar a equipe do rebaixamento no Paulistão
O São Bento nas mãos de Silas
Para Silas, é preciso, primeiro, trabalhar a parte emocional do grupo: “A pressão é muito grande” – Foto: Fábio Rogério (11/02/2019)

Pouco mais de 24 horas após anunciar oficialmente a demissão de Marquinhos Santos, o São Bento apresentou na tarde desta segunda-feira (11) o técnico Silas como seu novo comandante. Ele chega com a missão de livrar a equipe do rebaixamento no Campeonato Paulista e, para isso, terá pela frente seis jogos, metade deles em casa. Ex-meio campista de São Paulo, Vasco e San Lorenzo-ARG, entre outros times nas décadas de 80 e 90, o treinador se apresentou falando em melhorar o ambiente e trabalhar o lado psicológico dos jogadores para buscar uma reação. Com apenas três pontos em seis rodadas, o Bentão é o lanterna do Paulistão.

“Nesses primeiros dias vamos trabalhar mais o emocional e a parte psicológica do que qualquer outra coisa. Mas é um time de jogadores experientes, que já viveram a parte de cima das tabelas, mas também a parte de baixo. Assim como eu. Os dois têm uma pressão muito grande”, declarou. Ele classificou a reta final do estadual como uma “minicopa do mundo” para o clube e disse que será preciso trabalhar especialmente com a moral dos atletas para que o time encontre o caminho das vitórias. “Tenho certeza de que, conseguindo equacionar as questões de grupo, de vestiário, pois o momento exige isso, vamos conseguir resolver melhor as coisas dentro de campo.”

Leia mais  LCS pega pódio em três provas de ciclismo

 

Silas chega ao São Bento após ter treinado o Tubarão no Campeonato Catarinense. No entanto, a exemplo de seu antecessor no Azulão, foi demitido do cargo sem conquistar nenhuma vitória em seis jogos disputados. Apesar da falta de resultados positivos, no entanto, ele classificou o período como o melhor trabalho que já desempenhou. “Já fui campeão algumas vezes como técnico, inclusive no Catar, e de todos os trabalhos que fiz até hoje, esse do Tubarão foi o melhor. De conseguir transferir do treino para o campo o trabalho. Esbarramos na falta de experiência. Não é porque o resultado de pontuação não veio que o trabalho foi ruim. Às vezes você ganha jogo, mas não quer dizer que o trabalho foi bom”, disse.

Ainda na segunda, ele acompanhou um primeiro trabalho físico-tático no CIC, mas deve começar a comandar as atividades do grupo nesta terça (12), com foco total no compromisso da próxima segunda-feira (18), contra o Oeste, em Barueri. Silas, que também teve passagens como técnico por Avaí, Grêmio e Flamengo, entre outras equipes, disse confiar no projeto e na permanência do clube na Série A1 em 2020. Ele evitou, inclusive, falar sobre a sequência pós-Paulistão, quando o clube terá pela frente a disputa da Série B. “Se eu achasse que não tem condições, nem viria. Não vamos arriscar o pescoço por uma coisa que achamos que não vai dar certo. Temos muita confiança no grupo, no projeto e vamos encarar. Vai ser luta, mas o que não é, hoje em dia?”, disse.

Comissão técnica

Silas chega ao São Bento trazendo consigo o auxiliar técnico Tiago Campagnaro, de 35 anos. O ex-goleiro com passagens por Corinthians, Portuguesa e Vasco encerrou a carreira em 2017 e, desde o ano passado vem atuando como auxiliar, já tendo trabalhado com Silas em outros clubes. Antes disso, ele havia sido comandado pelo técnico em 2015, no Ceará.

Leia mais  Cruzeirão 2019 tem congresso técnico marcado

 

Além dele, o São Bento anunciou o retorno do auxiliar Luizinho Rangel, que deve integrar a comissão técnica permanente do clube. Luizinho trabalhou com Paulo Roberto Santos nos últimos anos e havia deixado o clube com a saída do treinador, em junho do ano passado.

Fim de semana foi cheio de especulações

O São Bento nas mãos de Silas
A demissão era esperada desde a noite de sexta-feira – Foto: Erick Pinheiro (08/02/2019)

Desde o apito final no empate sem gols entre São Bento e Ferroviária, na última sexta-feira (8), a demissão do técnico Marquinhos Santos passou a ser uma questão de tempo. A confirmação veio na manhã do domingo (10), quando foi divulgada uma nota oficial do clube anunciando a saída do treinador e seu auxiliar, Edison Borges, com uma mensagem de agradecimento a ambos.

Marquinhos chegou ao Azulão em julho do ano passado e treinou a equipe em 30 jogos, com oito vitórias, nove empates e 13 derrotas — um aproveitamento de 36,6%. A partir de então, a especulação em torno de vários nomes se intensificou.

A princípio, o mais cotado era Tarcísio Pugliese, ex-Ituano e que atualmente comanda o XV de Piracicaba na Série A2 estadual. Ele já havia acenado com a possibilidade de treinar o Bentão no ano passado, mas não conseguiu liberação do clube que treinava à época, na Malásia. Ontem pela manhã, porém, o XV garantiu a permanência do técnico até o fim da A2. Outro nome cotado era o de Sérgio Soares, que também ontem foi anunciado pelo São Bernardo como novo comandante da equipe do ABC.

Gilson Kleina chegou a entrar em pauta, mas o alto salário e questões familiares do técnico ex-Ponte Preta não deixaram o negócio avançar. Adilson Batista também teria sido procurado, mas sequer abriu negociação. Até mesmo o nome de Vanderlei Luxemburgo chegou a ser cogitado.

Curiosamente, ainda no domingo, Paulo Roberto Santos, que por quatro temporadas dirigiu o São Bento, foi demitido do comando do Brasil de Pelotas-RS após seis rodadas e nenhuma vitória no Campeonato Gaúcho. Apesar de haver um clamor de parte da torcida pelo seu retorno, desde o início a volta dele era praticamente descartada, já que sua saída foi conturbada, com um áspero desentendimento com a diretoria à época.

Comentários

CLASSICRUZEIRO