São Bento

Régis retorna ao tratamento, mas seguirá afastado do time do São Bento

Jogador procurou o clube nesta quinta (18) e informou que deu entrada na casa de reabilitação da qual havia se desligado
São Bento perde do Atlético-GO por 3 a 1 na estreia da Série B
Ala Régis ficará afastado dos treinos e jogos do São Bento até segunda ordem. Crédito da Foto: Fábio Rogério/Arquivo JCS

O Esporte Clube São Bento informou que o lateral Régis procurou o clube nesta quinta-feira (18) e informou que deu entrada na casa de reabilitação da qual havia assinado um termo se desligando na semana passada.

Leia mais  A redenção de Régis e do Bentão depois da primeira vitória

De acordo com o Azulão, o atleta informou que optou por ficar recluso e não participará das atividades (treinos e jogos) do clube até o momento em que a instituição Supera Terapias onde realiza tratamento contra a dependência química entender que ele está preparado para voltar a sua rotina profissional. Com isso, o jogador mantém o vínculo junto ao clube, mas com seu contrato suspenso temporariamente.

Régis havia aberto mão do tratamento de dependência química por vontade própria e desde domingo (14) não comparecia aos treinos do São Bento. Com isso, não foi relacionado para a partida contra o Coritiba, na segunda-feira (15).

Histórico

Não é de hoje que o jogador apresenta problemas com álcool e drogas. Na passagem pelo São Paulo, o atleta foi dispensado no final do ano passado por questões pessoais. Contratado pelo CSA de Alagoas, ainda em 2018, o lateral-direito teve o contrato rompido em fevereiro após ser preso em Maceió por tentar invadir um motel.

Menos de 24 horas após a dispensa, o São Bento acertou a contratação do atleta para fazer parte do elenco. Mas antes mesmo de entrar em campo, Régis se envolveu em nova polêmica. Ele foi preso em Sorocaba por suspeita de embriaguez, estar em posse de três pinos de cocaína e resistir à prisão.

O episódio poderia colocar fim a sua carreira, mas o clube sorocabano resolveu apostar no atleta e ofereceu uma série de tratamentos para combater o seu vício em álcool e drogas. Régis prontamente aceitou a oferta e escolheu o Centro de Atenção ao Dependente Químico (CADQ), que trabalha em parceria com a clínica Supera Terapias. O CADQ atua na cidade desde maio de 2018 e atende dependentes químicos de forma gratuita. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO