São Bento

Novo técnico muda rotina de todo o staff do São Bento

Chegada de Milton Mendes impacta na preparação física do São Bento
O chefe é quem manda
O fisiologista Marcos Galgaro veio do Santa Cruz com o técnico. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (20/9/2019)

 

A chegada de Milton Mendes ao comando técnico do São Bento não acarretou mudanças apenas na forma de os jogadores se comportarem nos treinamentos e nos jogos, mas também uma adaptação de todo o staff do clube. Os preparadores físicos Diego Kami Mura e Cléber Vaz foram dos mais afetados, já que o treinador cobra muita intensidade dos atletas no treinos e nas partidas.

“Toda mudança de comando gera algumas adaptações. Nós da casa (da comissão técnica permanente) temos de nos adaptar ao comandante, pois ele é o tomador de decisão. Cada treinador tem a sua metodologia, tem a sua forma de pensar, eu procuro entender o que o Milton quer no sistema de jogo para deixar os atletas no melhor nível possível”, explicou Diego.

Um diferente tipo de trabalho muda a maneira de atuar dos preparadores físicos e, só na atual temporada, Milton Mendes é o quarto comandante do Azulão. Outra dificuldade enfrentada é a de encontrar o equilíbrio físico entre todos os atletas. Somente para a Série B foram contratados 25 reforços. O último deles, o volante Juliano, chegou na semana passada.

Leia mais  São Bento ganha mais uma chance para se manter no Brasileiro da Série B

 

“Fizemos todas as avaliações e vemos onde o atleta tem déficit e, em cima disso, é que vamos trabalhar. Nós temos os números de todos os outros jogadores. Então, assim que a gente reavaliar o jogador, sabemos em que padrão ele se encontra, para assim chegar à capacidade física que está todo o elenco”, contou Cléber Vaz.

As transformações com a chegada de Milton não foram apenas na metodologia, mas também no corpo técnico em si. O São Bento agora conta com um fisiologista como parte da comissão técnica. Marcos Galgaro, que trabalhou no Santa Cruz com o treinador beneditino, ficará no clube sorocabano até o final do ano.

“Hoje o fisiologista é uma peça fundamental no processo de todas as equipes que querem ser profissionais. O fisiologista nos passa o que está acontecendo, nos mostra o que está acontecendo com o atleta. Nós, que estudamos e somos profissionais, já conseguimos juntar a informação passada e o trabalho diário para buscarmos o que queremos alcançar”, avaliou Milton Mendes.

Com as mudanças na filosofia e no staff, o Bentão segue lutando para fugir da zona do rebaixamento. O clube sorocabano está na 19ª colocação, com 24 pontos, quatro atrás do Vila Nova-GO, o primeiro time fora do Z4. O Azulão enfrenta na sexta-feira, às 21h30, em Sorocaba, o líder Bragantino. (Zeca Cardoso)

Comentários

CLASSICRUZEIRO