Esporte

São Bento trabalha em busca de ‘recomeço’ para a Série B do Brasileiro

Técnico Doriva confirmou mais mudanças no elenco do time de Sorocaba para a competição



Foto: Erick Pinheiro (11/04/2019)

Ressurgir, apagar o primeiro semestre e ter um recomeço no segundo semestre de 2019. Essas são as diretrizes apontadas pelo técnico Doriva para o “novo São Bento” deste ano. O treinador concedeu entrevista à imprensa na manhã desta quinta-feira (11), no Estádio Municipal Walter Ribeiro (CIC).

Doriva comentou que tem percebido uma mudança de comportamento do elenco em relação às características apresentadas durante o Campeonato Paulista. O estadual, aliás, tem de ficar no passado, disse o treinador. “Temos de colocar em prática a ‘lei da semeadura’. Plantar agora e colher lá na frente.”

Leia mais  Atacante Henan deixa o São Bento a 16 dias da estreia do clube na Série B

 

A equipe trabalhará em dois períodos nesta quinta: de manhã terá um treino físico no CIC e à tarde terá mais uma atividade física, além de um trabalho tático-técnico no CT Fazenda dos Ipês. No sábado (13), às 10h30, o time fará um jogo-treino contra o São Caetano, no CIC.

Os treinamentos da equipe estão sendo fechados à imprensa. Segundo Doriva, por conta do “período de testes internos”.

Até agora, desde o fim do Campeonato Paulista, o São Bento apresentou os atacantes Zé Roberto e Raphael Martinho; o lateral-direito Bruno Moura; e o volante Feijão. No mesmo período, foram desligados o zagueiro Ewerton Páscoa; o lateral-direito Éverton Silva; os meio-campistas João Paulo e Alex Maranhão; e o atacante Henan, a saída mais recente. Mais baixas devem acontecer, embora o técnico ainda não possa enumerá-las. E outros nomes também serão apresentados para a Série B do Campeonato Brasileiro. “Quero pelo menos mais três ou quatro peças, para a zaga e para o ataque, com um jogador de beirada e um mais centralizado”, citou.

Elenco e autoestima

Doriva, a exemplo da visão do ex-técnico Marquinhos Santos, prefere elencos mais enxutos. Acredita, portanto, em 28 jogadores como sendo o número ideal. “Porque aí todos podem ter oportunidade, conforme a performance e o rendimento”, destacou.

O técnico afirmou entender a desconfiança do torcedor em relação ao passado recente, mas apontou que é momento de “olhar para trás e aprender”. “Eu cheguei para mudar esse momento, recuperar a autoestima. A gente sabe que o torcedor é passional, quer ver uma equipe que luta, que vence. Mas hoje eu tenho visto alegria aqui dentro, vontade de querer dar uma resposta por parte dos jogadores.”

Comentários

CLASSICRUZEIRO