Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Rodrigo se reinventa para ajudar o Magnus

25 de Outubro de 2020

Rodrigo se reinventa para ajudar o Magnus Capitão (entre Kevin e Gleidson) garante experiência à equipe renovada. Crédito da foto: Guilherme Mansueto / Magnus Futsal

O capitão do Magnus Futsal, o fixo Rodrigo, é uma referência para a modalidade no Brasil. Veste a braçadeira também da seleção brasileira. Mesmo aos 36 anos, o jogador mostra a disposição de um iniciante dentro de quadra e se reinventa na forma de jogar.

“Hoje eu tenho que me movimentar, se não, eu não vou jogar. Para o Ricardinho (técnico) não importa se o Rodrigo, se o menino que tá subindo agora, se não fizer o que tem que fazer, não vai jogar. Então, eu tive que me reinventar”, revelou.

E não foi só o modelo de jogo do comandante de Sorocaba que fez o atleta mudar a forma de atuação. Para 2020, foram alçados seis jogadores das categorias de base para o profissional. Os jovens também ajudaram na mudança do “Capita”.

“Com a subida dos meninos, eu tenho que me reinventar de novo. Você tem que jogar para eles, abrir espaços. Eu tenho que fazer o ‘papel sujo’, mas isso passa pela experiência também, às vezes não tocamos na bola, mas fazemos papel importante”, analisou.

Mas algo que não muda é o número de gols. Em 2019, Rodrigo foi o artilheiro da Liga Nacional de Futsal (LNF) com 18 gols. Na atual temporada, se mantém no topo. Marcou nove vezes em 11 partidas. Média de 0,8 gol por jogo.

“Eu não tenho esse foco. A gente sabe que os títulos individuais aparecem depois que o time chega nas decisões. Meu foco é chegar na final, ser campeão da Liga. Mas faz tempo que eu estou sempre ali na briga, mantendo uma média boa de gols.”

Líder invicto

E não é só o capitão que está na primeira posição. O Magnus lidera o Grupo A, com 33 pontos. Está invicto na LNF: são 11 vitórias em 11 jogos. Já classificados, os sorocabanos já começam a olhar para o mata-mata, a fase decisiva da Liga.

“Costumo brincar que agora vai separar os homens dos meninos. Sabemos que no mata-mata é uma outra competição, uma derrota no primeiro jogo dá uma pressão maior para o segundo, mas a gente gosta desse tipo de competição”, pontuou.

Apesar de um elenco recheado de jovens jogadores, Sorocaba conta com muita experiência em seu plantel. Além do Rodrigo, o goleiro Djony, os alas Danilo Baron e Leandro Lino já têm uma rodagem no futsal. Algo fundamental para o momento.

“Nesse momento de mata-mata é muito importante dentro do jogo. Essa é a mescla mais importante: os jovens terem tranquilidade para exercerem o trabalho e a pressão vir para os atletas que já passaram por isso”, finalizou o capitão.

Na terça-feira (27), o Magnus recebe o Praia Grande pela terceira rodada do Campeonato Paulista, competição em que também está invicto -- duas vitórias em dois jogos. No dia 31, fecha a primeira fase da LNF contra o Corinthians, novamente em casa. (Zeca Cardoso)