fbpx
Esporte São Bento

Primeiros tempos ruins causaram as últimas derrotas do São Bento

Nas duas oportunidades o Bentão levou dois gols na etapa inicial
São Bento
O técnico Marquinhos Santos: intensidade do começo ao fim – Foto: Erick Pinheiro/Arquivo JCS

As duas últimas derrotas do São Bento na Série B do Brasileiro foram marcadas por uma particularidade em comum: um primeiro tempo muito abaixo do esperado que, em ambos os casos, motivou o revés. Foi assim diante do Fortaleza, no Castelão, na 29ª rodada; e novamente diante do Londrina, no sábado (13), pela 31ª rodada. As duas partidas, aliás, guardam outras semelhanças entre si: além do resultado adverso de 2 a 1, nas duas oportunidades o Bentão levou dois gols na etapa inicial e conseguiu diminuir o prejuízo na volta do intervalo — mas a reação parou por aí.

Leia mais  Victor Salinas vem para buscar o acesso com o São Bento

 

Após a derrota para o Fortaleza e o reencontro com a vitória já na rodada seguinte, diante do Guarani, os jogadores tinham pronto na ponta da língua o discurso para evitar novos apagões: manter a intensidade do começo ao fim da partida. O exemplo foi dado, inclusive, com a própria partida contra o Bugre, no CIC, quando o Bentão pediu pênalti em lance sobre Roni com menos de 15 segundos de jogo. A atuação, aliás, foi usada como exemplo e, mesmo com o gol da vitória vindo somente no último minuto, o Azulão pressionou os 90 minutos, criando diversas oportunidades.

Com a meta de chegar a 45 pontos para eliminar o risco de rebaixamento, o São Bento tem dois compromissos em casa pela frente, primeiro na sexta-feira (19) contra o Criciúma e em seguida no próximo sábado (27) diante do CRB. Com 39 pontos — sete à frente do primeiro dentro do Z4 –, a equipe sorocabana é a 14ª colocada.

Comentários