Esporte

Na contramão, Ituano cria Casa Covid e comemora poucos infectados

Médico do Galo explica case de sucesso durante a pandemia
De aferição de temperatura a criação de “Casa Covid”, Ituano tem poucos casos da doença. Crédito da foto: Flavio Torres/Ituano.

O Ituano vem sendo destaque na prevenção do novo coronavírus entre os clubes. Do início da pandemia para cá, são poucos casos de infectados entre jogadores, comissão técnica e funcionários, e muito disso se dá por conta de dois pontos principais: diretrizes rígidas e disciplina. O clube optou por não divulgar o número exato de contaminados.

“Essa condição que o Ituano tem oferecido é algo de extremamente importante. Nós tivemos situações em que viajamos durante o Campeonato Brasileiro (de 2020) para cidades que estavam em uma condição pior do que a nossa e íamos dormir lá. Buscamos outras opções para não ficar nessa cidade. Isso trouxe custos maiores para a diretoria, mas trouxe segurança para todos e resultados também, como baixíssimas taxas de infecção”, iniciou o médico do clube, Dr. Alexandre Santoro.

Ele elaborou, em conjunto com o Comitê Médico da Federação Paulista de Futebol, médicos de outros clubes e seu amigo pessoal Dr. Sergio Cimerman, infectologista do hospital Emilio Ribas, um protocolo para tentar conter a contaminação pela doença, que culminou, entre outros pontos, com a criação da “Casa Covid”, instaurada em maio do ano passado.

Leia mais  SP registra 1.299 mortes por Covid nas últimas 24h, 2ª pior marca na pandemia

“Temos essa casa. Quando o indivíduo tem sintomas ou testou positivo, é dirigido para lá, fica isolado e recebendo toda alimentação, suplementação necessária e o controle, duas a três vezes por dia, do técnico de enfermagem, que vai para pegar parâmetros de oximetria, temperatura, de como está o paciente, na parte física ou psicológica”, explicou o profissional.

No entanto, todos os investimentos despendidos pelo clube não teriam o mesmo sucesso caso não houvesse o comprometimento de todos os atletas e funcionários do Galo.

“Desde o ano passado, a equipe que estava aqui no Brasileiro e a atual do Paulista é bastante solícita e cooperativa com todas as nossas sugestões. Fazemos semanalmente algumas reuniões com várias partes da comissão; quando vamos viajar, por exemplo, vou pessoalmente no quarto de cada um, pulverizamos com álcool 70 travesseiros, maçanetas, interruptores e falamos exaustivamente com todos”, finalizou Santoro.

No momento, o Campeonato Paulista está paralisado até dia 11 de abril, respeitando a fase emergencial do Estado de São Paulo. O Ituano soma, até agora, sete pontos e é o terceiro colocado do grupo C, atrás de Palmeiras e Bragantino, que têm oito pontos cada.

Leia mais  Corinthians assume liderança do ranking feminino da CBF

Em relação ao coronavírus, o Brasil passa pelo pior momento da doença. São mais de 12,5 milhões de casos e 312 mil mortes. Em São Paulo, são quase 72 mil óbitos. (Marina Bufon)

Comentários