Esporte

LSB disputa playoffs em crise financeira

LSB disputa playoffs em crise financeira
O técnico e gestor da equipe, Rinaldo Rodrigues, enfrenta problemas com folha de pagamento. Crédito da foto: Fábio Rogério (10/9/2020)

A Liga Sorocabana de Basquete (LSB) disputa os playoffs do Campeonato Paulista a partir de amanhã (2), contra o Paulistano, em São Paulo. A partida ocorre às 19h30, no Ginásio Antônio Prado Junior. Porém, a equipe da cidade enfrenta problemas financeiros, que aumentaram ainda mais durante a pandemia.

O esporte sorocabano no geral foi seriamente afetado. O Fundo de Apoio ao Desporto Amador (Fadas) teve o seu edital cancelado para alocar recursos à Secretaria de Saúde. O valor do Fadas seria de R$ 3,18 milhões para atender 53 projetos. No dia 21 de agosto, a Prefeitura publicou um novo edital de chamamento para entidades esportivas representarem a cidade.

O valor fixado é de R$ 1 milhão para 37 clubes esportivos. Ainda assim, o montante não chegou aos representantes. Todo esse atraso impacta diretamente no desempenho dos times sorocabanos, como explicou ao programa “Fome de Bola” da rádio Cruzeiro FM 92,3, na semana passada, o gestor e técnico da LSB, Rinaldo Rodrigues.

Leia mais  Inter e Atlético-MG têm novos técnicos

“Você não vive de paixão, nós somos profissionais. Estamos enfrentando os melhores times do Brasil sem ter dinheiro para a arbitragem. Temos um parceiro para um jogo, mas temos mais dois jogos e não sabemos se vamos jogar”, falou.

E essas pendências nos pagamentos não afetam apenas o resultado esportivo, mas também todos os atores envolvidos no processo. Como os próprios atletas da LSB, que estão sem receber, mesmo trabalhando.

“Nós estamos com aluguel atrasado, atleta (sem receber). É muito chato passar por isso em uma cidade de quase 800 mil habitantes. Não podemos ter a memória curta, a LSB chegou a levar 3 mil pessoas ao Ginásio Municipal de Esportes”, lembrou.

A cidade tem representantes na elite estadual de três modalidades esportivas diferentes: futebol, basquete (masculino e feminino) e futsal. Mesmo assim, a pasta do esporte terá redução de 34% nas receitas. Caindo de R$ 20,7 milhões neste ano para R$ 13,6 milhões em 2021.

Leia mais  Bahia x Santos: missões cumpridas

“Se fizermos uma campanha política sem dinheiro, não ganharíamos. No esporte é a mesma coisa. Temos o São Bento na primeira divisão, a LSB na primeira divisão, o Magnus na primeira divisão. Por que o esporte não é um caminho bom para a nossa cidade?”, finalizou. (Zeca Cardoso)

Comentários