Esporte

Hamilton não garante permanência na Fórmula 1

Hamilton soma 282 pontos, contra 197 de Valtteri Bottas, seu companheiro na Mercedes
Hamilton não garante permanência na Fórmula 1
O britânico ganhou o GP da Emilia-Romagna, no domingo, e pode ser campeão na Turquia. Crédito da foto: Miguel Medina / AFP (1º/11/2020)

Lewis Hamilton pode se sagrar sete vezes campeão da Fórmula 1, dia 15 de novembro, no GP da Turquia, a 14ª de 17 etapas da temporada de 2020. Mas a possibilidade desta enorme conquista não garante o inglês na temporada 2021. O próprio piloto diz que “não tem garantias” de que vai dirigir o carro da Mercedes ano que vem.

“Eu gostaria de estar aqui no próximo ano, mas não há garantias disso, com certeza”, disse Hamilton, ao ser questionado sobre a possibilidade do austríaco Toto Wolff deixar a chefia da Mercedes, que conquistou em Ímola, no domingo (1º), o sétimo título consecutivo de Construtores. “Nem sei se estarei aqui no próximo ano.”

Vencedor pela 93ª vez na principal categoria do automobilismo, Hamilton, de 35 anos, completou: “Eu me sinto ótimo e ainda muito forte… mas você falou de Toto e vida útil e há muitas coisas que estão na minha mente”, disse o britânico, em entrevista a vários repórteres presentes no circuito de Ímola, na Itália.

Leia mais  Novorizontino e Ponte empatam por 1 a 1

Hamilton soma 282 pontos, contra 197 de Valtteri Bottas, seu companheiro na Mercedes. Para ser campeão na Turquia, com três corridas antes do final da temporada (duas no Bahrein e outra em Abu Dabi), o inglês vai precisar somar oito pontos a mais que o finlandês.

O GP da Emilia-Romagna, em Ímola, foi caótico, com vários abandonos. Hamilton largou mal e caiu para terceiro, atrás de Max Verstappen (Red Bull), mas voltou à ponta ao ampliar a permanência na pista antes do pit-stop. Depois, foi beneficiado pelo safety car virtual para a retirada do carro de Esteban Ocon e pelo abandono de Verstappen, que teve um pneu furado.

Valtteri Bottas, da Mercedes, foi o segundo colocado, e o australiano Daniel Ricciardo, da Renault, resistiu às investidas do russo Daniil Kvyat, da AlphaTauri, e completou o pódio. Charles Leclerc (Ferrari) foi o quinto, à frente de Sergio Pérez (Racing Point). A McLaren colocou Carlos Sainz Jr. em sétimo e Lando Norris em oitavo. Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi, dupla da Alfa Romeo, fecharam o top-10.

Pierre Gasly (AlphaTauri), que usou capacete em homenagem a Ayrton Senna, morto em um acidente em Ímola em maio de 1994, abandonou a prova na décima volta. (Estadão Conteúdo)

Comentários