Esporte São Bento

Laudo aponta ferimentos por arma branca no meia Daniel, morto em Curitiba

A diretoria do clube divulgou nota em que se solidariza com a família e amigos do jogador

*Atualizada às 12h

Daniel foi emprestado para o Sâo Bento em junho. Foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS
O meia Daniel, de 24 anos, que estava emprestado ao São Bento para a Série B do Campeonato Brasileiro, foi assassinado na madrugada de sábado (27) em São José dos Pinhais, cidade a cerca de 20 quilômetros de Curitiba. O laudo oficial do Instituto Médico Legal (IML) da capital paranaense não foi divulgado, mas o documento preliminar indica que foram registrados ferimentos por arma branca. O corpo foi liberado nesta manhã e deve ser encaminhado a Conselheiro Lafaiete, em Minas Gerais, cidade onde vivem familiares. O jovem foi encontrado em um matagal da rua Augusto Micrute, no bairro Colônia Mergulhão.
Segundo a Polícia Civil do Paraná, houve a instauração de um inquérito policial pela delegacia local para apurar os fatos. “Os familiares da vítima também serão ouvidos. As investigações estão avançadas. Detalhes não serão repassados para não atrapalhar o andamentos das diligências policiais”, informou.

Daniel chegou ao São Bento em 19 de junho, a pedido do então técnico Paulo Roberto Santos. O atleta não teve uma grande sequência de jogos por ter sofrido algumas lesões desde a chegada. Na Série B, por exemplo, ele atuou em apenas duas partidas, conforme informações do site O Gol. O jovem foi revelado pelo Cruzeiro, mas teve destaque no Botafogo. No fim de 2014 o São Paulo o contratou, porém, também por causa de lesões, ele pouco defendeu as cores do clube do Morumbi. Além do time de Sorocaba, Daniel foi emprestado à Ponte Preta e ao Coritiba.

O São Bento divulgou, na madrugada deste domingo (29), nota lamentando a morte do atleta e tem feito contato com a família. “A diretoria do São Bento lamenta o fato ocorrido e se solidariza com a família e amigos do jogador nesse momento de profunda tristeza”. O mesmo foi feito pelo São Paulo: “o São Paulo Futebol Clube lamenta profundamente a morte do meio-campista Daniel Corrêa Freitas. O clube se solidariza e presta condolências à família do atleta.” Ainda não há informações sobre o velório e enterro de Daniel.

De acordo com o diretor de futebol do clube de Sorocaba, José Humberto Urban Filho, os jogadores do elenco estão de folga nesta segunda-feira (29) e se reapresentam aos trabalhos nesta terça-feira (30), no período da tarde. Conforme o apurado, o São Bento não solicitará o adiamento da próxima partida da Série B, na sexta-feira (2),às 17h, contra a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli.

Índole e caráter

Daniel fez o último treino pelo São Bento na sexta-feira (26). Como não estava relacionado para a partida do último sábado contra o CRB, pela 33ª rodada da Série B, em que o Azulão venceu por 1 a 0, o atleta participou da atividade e foi liberado, assim como os demais que não enfrentariam os alagoanos. Segundo Urban, o jovem era bastante introvertido. A versão foi confirmada pelo ex-técnico Paulo Roberto Santos, ouvido pela reportagem nesta segunda-feira. “Era um menino muito introvertido, de poucas palavras, mas muito trabalhador, muito profissional. A gente via a disposição dele. Ele veio querendo ajudar, apostando na recuperação clínica e física. Durante o tempo em que a gente trabalhou, ele se demonstrou um rapaz de muito boa índole, muito tranquilo”, citou.

Paulo Roberto afirmou que Daniel carregava um “perfil diferente”. “Ele não era como às vezes acontece, com perfil de atleta que já passou por time grande. Era muito simples, de bom caráter. Infelizmente fiquei pouco tempo trabalhando com ele, mas deu para perceber isso aí. A gente estava naquela fase de avaliar a sequência dos trabalhos dele. Na época se procurava um camisa 10, depois da saída do Rodolfo. O São Paulo nos colocou à disposição o nome dele e aceitamos. Isso é muito triste”, acrescentou.

Redes sociais

Jogadores que atuaram com Daniel nos clubes onde o atleta passou fizeram publicações nas redes sociais lamentando a morte do ex-companheiro de profissão. O atacante Alan Kardec, que jogou com ele no São Paulo, e atualmente defende o Chongqing Lifan Football Club, da China, escreveu que “o dia aqui amanheceu muito triste”. “Um moleque tranquilo, de bom coração, super do bem. Quantas vezes brincava com ele sobre ele ser tão sossegado como era. Quanto potencial como atleta, um ser humano incrível. Que Deus conforte a família, os amigos. É um momento em que as palavras são dificílimas e que a tristeza é enorme! Meus sentimentos aos familiares”, postou.

O volante Souza, também ex-São Paulo e que joga pelo Al-Ahli Saudi Football Club, publicou que “perdemos um ex companheiro e ótima pessoa”. “Desejo meus sentimentos aos familiares e que possam no mínimo encontrar os culpados em um Brasil em que as pessoas se importam com seus pequenos direitos. Todos já perderam o direito de ir e vir em paz. Que encontrem os culpados e que eles paguem até o último dia de pena, sem indulto. Vamos construir um Brasil melhor! Daniel, você era um exemplo de profissional e como pessoa, que sua família saiba que você era assim com todos”, declarou.

 

Comentários