Esporte

Corinthians vence Santos nos pênaltis e vai para a decisão do Paulista

Timão perdeu no tempo normal por 1 a 0, mas ganhou nas penalidades: 7 a 6. Adversário será o São Paulo
Santos x Corinthians
Victor Ferraz perdeu o pênalti que deu a classificação ao Corinthians. Crédito da Foto: Thiago Bernardes/Framephoto/Estadão Conteúdo

O Corinthians derrotou o Santos nos pênaltis por 7 a 6 e garantiu vaga na decisão do Campeonato Paulista nesta segunda-feira (8), no Pacaembu. O time de Fábio Carille enfrentará o São Paulo na decisão, com o segundo jogo sendo realizado em Itaquera.

Leia mais  São Paulo elimina Palmeiras nos pênaltis e volta à final do Paulista após 16 anos

 

A classificação, no entanto, veio repleta de sofrimento. O Corinthians fez uma péssima partida, passou o jogo inteiro no seu campo de defesa e contou com grande atuação de Cássio. O goleiro só não segurou um cabeceio de Gustavo Henrique, que deu a vitória para os anfitriões no tempo regulamentar por 1 a 0. Na disputa dos pênaltis, Kaio Jorge e Victor Ferraz carimbaram a trave e deram a classificação para o Corinthians.

A partida, sob chuva intensa, foi de uma equipe só. O Santos pressionou os 90 minutos. O goleiro Vanderlei foi mero espectador, enquanto do outro lado Cássio defendeu de tudo que foi jeito. Pegou até com o pé e reclamou muito com sua equipe, que permaneceu os 90 minutos no campo de defesa dando chutão para frente.

O Corinthians agora aguarda pela confirmação das datas e horários da decisão, o que será feito pela Federação Paulista de Futebol na quarta-feira. O Santos volta as atenções para a Copa do Brasil. Na quinta, tem o jogo de volta contra o Atlético-GO na Vila Belmiro. O time paulista perdeu o primeiro por 1 a 0.

O jogo

Carille optou pela entrada de Pedrinho entre os titulares no lugar de Vagner Love, mas manteve a maneira da equipe atuar. Sampaoli foi ousado na escalação ao colocar Diego Pituca na lateral esquerda e entrar com um meio de campo com somente um marcador de ofício: Alison.

Em campo, o Santos encurralou o Corinthians. O time chegava com oito jogadores no ataque. Assim, somente os dois zagueiros esperavam na linha do meio de campo. Logo no começo, Henrique quase facilitou a vida dos anfitriões ao escorregar e dar de presente para Cueva. Mas Ralf afastou o perigo.

A equipe de Carille se segurava e contava também com as defesas de Cássio. Depois de Pituca chutar com perigo para fora, o goleiro corintiano começou a trabalhar. Primeiro pegou chute à queima roupa de Jean Mota. Na sequência, espalmou uma bomba de Carlos Sanchez, mandando para escanteio. Pouco depois, colocou para lateral um chute cruzado de Derlis González.

Nas arquibancadas, houve um estrondo na reta final do primeiro tempo. Uma bomba estourou na mão de um torcedor, que precisou ser carregado de maca para o posto médico.

Vagner Love veio para o segundo tempo na vaga de Pedrinho no lado do Corinthians e Rodrygo no lugar de Cueva no Santos. Os donos da casa começaram pressionando. Cássio salvou mais duas: Jean Mota chutou cruzado. O goleiro espalmou. Na sobra, Rodrygo driblou Henrique e chutou em cima do titular da meta adversária

O Santos continuava em cima e Cássio seguia inspirado. Os torcedores já demonstravam impaciência com a dificuldade da equipe para balançar as redes. Após bate-rebate na área, a bola sobrou para Rodrygo, que bateu forte e o goleiro corintiano salvou com os pés.

O Corinthians chegou em um ponto que mal saía de sua área. Até que de tanto alçar as bolas na área o Santos enfim tirou o zero do placar. Aos 40 minutos, Victor Ferraz cruzou da direita e o zagueiro Henrique desviou para as redes. O resultado levou a decisão para os pênaltis. E aí o Corinthians se deu melhor. (João Prata – Estadão Conteúdo)

Ficha técnica

Santos 1 (6) x (7) 0 Corinthians

Santos – Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Diego Pituca; Alison, Cueva (Rodrygo), Carlos Sánchez, Jean Mota (Kaio Jorge) e Soteldo; Derlis González. Técnico: Jorge Sampaoli

Corinthians – Cássio; Fagner, Henrique, Manoel e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza; Pedrinho (Vagner Love), Gustagol (Boselli) e Clayson (Ramiro). Técnico: Fábio Carille

Gol – Gustavo Henrique, aos 40 minutos do segundo tempo

Árbitro – Raphael Claus

Cartões amarelos – Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Kaio Jorge (Santos); Clayson e Cássio (Corinthians)

Renda – R$ 1.477.585

Público – 37.731 pagantes

Local – Estádio do Pacaembu, em São Paulo

Comentários

CLASSICRUZEIRO