Esporte

Bryan Ruiz se esquiva sobre camisa 10 e fala em encerrar carreira no Santos

Samir Carvalho – Folhapress

O meia costarriquenho Bryan Ruiz foi apresentado pelo Santos no início da noite desta quarta-feira (11), na Vila Belmiro. Recebido com a camisa 10, entregue pessoalmente pelo presidente José Carlos Peres, o primeiro reforço do clube durante a pausa para a Copa do Mundo ainda não garantiu a utilização do número, esquivando-se de um possível mal-estar com o atacante Gabriel Barbosa, atual 10 santista.

“Sei a responsabilidade de chegar a esse clube, principalmente porque a equipe está atrás [no Campeonato Brasileiro] e precisa melhorar no meio de campo, um dos motivos pelo que estou aqui. Sei a responsabilidade de jogar no meio de campo do Santos, mas o número não é importante. O importante é o que está na frente da camisa, o símbolo do Santos. Se for numero 10, 40 ou 60, não importa”, disse o jogador que, na sequência, não escondeu o desejo de vestir o número histórico santista.

Leia mais  Brasil segue em 3º no ranking da Fifa; Itália ganha posições

“Será muito bom vestir a camisa muito 10, a história é muito grande, mas o pensamento maior é pelo que está na frente, o escudo do Santos”, completou.

Bryan não escondeu em sua primeira entrevista que tinha como principal meta pessoal a permanência na Europa. O novo reforço, porém, agradeceu o empenho dos dirigentes santistas para contratá-lo e que pensa, inclusive, na possibilidade de encerrar a carreira no novo clube. O término do contrato será em dezembro de 2020.

“Seria um sonho para mim, mas vai depender do meu desempenho, também, de como as coisas vão acontecer aqui. Sinto-me bem para render o máximo ainda. Vou me esforçar para que os dois anos e meio sejam bons e depois tomar uma decisão. Terminar a carreira aqui seria um sonho, é uma grande equipe”, afirmou.

Apesar de toda a aposta do Santos em seu novo reforço, o meia já avisou que viajará para Portugal para resolver detalhes de sua mudança e que combinou uma semana de descanso com a família, na Costa Rica, antes de se apresentar ao técnico Jair Ventura.

Leia mais  Luisa Stefani alcança melhor lugar entre brasileiras no raking da WTA

Com isso, Bryan não deve estar presente para o clássico contra o Palmeiras, no próximo dia 19, no estádio do Pacaembu, em duelo válido pela 13ª rodada do Brasileiro.

O costarriquenho receberá pouco menos de R$ 400 mil de salário mensal no Santos, mas com luvas parceladas e impostos, o jogador deve custar aproximadamente R$ 600 mil mensais aos cofres do clube paulista.

Com Bryan Ruiz, a cúpula santista enfim espera resolver o problema do setor mais carente do elenco: meia-armador. Desde que Lucas Lima deixou o clube após o término de seu contrato para assinar com o Palmeiras, o Santos não encontrou um jogador para a posição. As opções internas não resolveram: casos de Vecchio, Jean Mota, Léo Cittadini e outros.

Comentários