Esporte

Acusado de estupro, jogador do Boca tem prisão solicitada

Defesa de mulher que acusa Cristian Pavón teme viagem para fora da Argentina
Cristian Pavón, de 25 anos, é acusado de estupro pela enfermeira enfermeira Gisela Doyle. Crédito da foto: Reprodução/Instagram.

O jogador Cristian Pavón, do Boca Juniors, teve prisão preventiva solicitada nesta sexta-feira pela defesa da mulher que o acusa de estupro. O fato teria ocorrido em novembro de 2019.

Pavón, de 25 anos, estava emprestado ao Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos, e, com esse pedido, pode ser detido em Buenos Aires, na Argentina. Como ele não deve permanecer nos xeneizes e o clube norte-americano demonstrou interesse em comprá-lo, a defesa pediu a prisão antes que ele possa deixar o país.

Caso o jogador já esteja nos Estados Unidos ou em qualquer outro país quando o pedido for aceito pela Justiça, a defesa da mulher pretende fazer outra solicitação, desta vez para a Interpol, com pedido de extradição.

Entenda o caso

A enfermeira Gisela Doyle acusa Cristian Pavón de abuso sexual em uma festa em novembro de 2019. Segundo relato, após ela ter consumido álcool e maconha, o jogador a teria levado para um banheiro e lá tiveram relações sem o consentimento dela por cerca de uma hora. Na sequência, Pavón a teria deixado jogada no banheiro. A defesa do atacante nega.

 

Comentários