BLOG DO SÃO BENTO


Para não deixar a peteca cair




Nas palavras do técnico Paulo Roberto Santos, o futebol é uma roda-gigante. E para que o São Bento se mantenha por cima depois de ganhar do Corinthians em pleno Itaquerão, ele busca vencer hoje o Botafogo de Ribeirão Preto, às 19h30, no Estádio Municipal Walter Ribeiro (CIC), pela oitava rodada do Paulistão 2018. O Azulão ocupa a vice-liderança do Grupo C, na zona de classificação, com 12 pontos, atrás do Palmeiras (19) e à frente de Ferroviária (9) e Novorizontino (8).

O bom resultado diante do Timão recolocou o São Bento nos trilhos após três jogos sem vencer. O feito, porém, já ficou na história e agora o Azulão busca estabilidade na competição. "Temos que esquecer tudo o que já fizemos (na rodada anterior). E provar a qualidade da nossa equipe a cada rodada", disse Paulo Roberto à rádio Cruzeiro FM 92,3. O zagueiro João Paulo sentiu uma lesão na coxa na última partida e não joga, sendo substituído por Rogério.

O também defensor Douglas Assis e o atacante Lúcio Flávio permanecem no departamento médico: Luizão e Anderson Cavalo, respectivamente, serão os titulares. Em virtude da suspensão do lateral e capitão Marcelo Cordeiro pelo terceiro cartão amarelo, o time deve ter alteração nas alas. Na esquerda, Cordeiro deve abrir espaço para Régis -- que pode atuar nos dois setores do gramado. Ele, por sua vez, cede lugar a Lucas Farias na lateral direita.

Assim como o São Bento, o Botafogo também sofre com a sequência de jogos e tem seis atletas lesionados. A Pantera vem de empate contra a Ponte Preta por 1 a 1, na semana passada, e aparece na vice-liderança do Grupo D, com 10 pontos (um a menos que o Santos).

De acordo com o historiador Luiz Carlos Éden, o São Bento não ganha do Botafogo pelo Paulistão desde 1986 -- placar de 2 a 0, no CIC, com gols de Dino Furacão e Cacau. De lá para cá, foram três derrotas e quatro empates. O encontro mais recente dos dois foi pelo Brasileiro Série D do ano passado: vitória beneditina no Santa Cruz por 2 a 0, em 13 de agosto.

Os ingressos para as arquibancadas custam R$ 40 (R$ 20 meia-entrada) e as entradas para as cadeiras são vendidas por R$ 80 (R$ 40 meia-entrada). Sócios entram diretamente nas catracas ao apresentarem suas carteirinhas.

Acompanhe


O jornal Cruzeiro do Sul acompanha o jogo entre São Bento e Botafogo-SP em tempo real no seu site: www.jornalcruzeiro.com.br. A rádio Cruzeiro FM 92,3 transmite o confronto a partir das 18h, com narração de Nilson Duarte, comentários de Érico Bueno, reportagens de Caio Rossini, apresentação de Rodrigo Gasparini e plantão esportivo de Juarez Morato. A jornada esportiva também pode ser ouvida pela internet, no endereço www.cruzeirofm.com.br.

São Bento x Botafogo-SP

São Bento -
Rodrigo Viana; Lucas Farias, Luizão, Rogério e Régis; Fábio Bahia, Diego Felipe, Maicon Souza, Celsinho e Lucas Crispim; Anderson Cavalo. Técnico: Paulo Roberto Santos

Botafogo-SP -
Tiago Cardoso; Lucas Taylor, Plínio, Naylhor e Mascarenhas; Walfrido, Diones, Bruno Rocha e Dodô; Danielzinho e Bruno Moraes. Técnico: Léo Condé

Árbitro - Luiz Flavio de Oliveira

Local - Estádio Municipal Walter Ribeiro (CIC), em Sorocaba

Horário - 19h30


Em meio à euforia, outra lesão




Na euforia pela vitória sobre o Corinthians, por 1 a 0, em Itaquera, na última quarta-feira (14), o São Bento teve de fazer uma pausa na comemoração para lembrar que voltou a perder um jogador para o departamento médico. Visivelmente incomodado com a saída de João Paulo, ainda no primeiro tempo, com uma lesão muscular na coxa, o técnico Paulo Roberto Santos falou das dificuldades de ter que lidar com tais situações de forma consecutiva.
 
"Eu sou o único treinador do futebol mundial que só tem direito a duas substituições há quatro rodadas. Isso me prejudica muito. Eu precisava de gás maior no meio de campo no final do jogo e já tinha feito todas as alterações", disse, em entrevista à rádio Cruzeiro FM 92,3. Os problemas físicos que assombraram o São Bento no Paulistão 2017 voltaram a ocorrer a partir do jogo contra a Ponte Preta, na quarta rodada: Douglas Assis deixou o gramado no decorrer da partida e Rodrigo Viana foi para o DM no dia seguinte. Na rodada posterior, diante do Santo André, foi a vez de Lúcio Flávio ser tirado de combate.
 
Todas as lesões são semelhantes (músculo adutor) e, até agora, somente o camisa 1 voltou a atuar. "É um fato que atrapalha e voltamos a conviver com isso em uma competição muito exigente, que desgasta muito os atletas. Vamos ter de administrar isso até o final do campeonato", finalizou Paulo Roberto.
 
Na quinta-feira (15), a reapresentação do São Bento foi em Porto Feliz, onde os suplentes disputaram um jogo-treino contra o Desportivo Brasil, que participa da Série A3 do Campeonato Paulista. Os titulares realizaram trabalhos regenerativos. Vice-líder do Grupo C, com 12 pontos, o Azulão volta a campo no domingo (18), às 19h30, quando recebe o Botafogo de Ribeirão Preto no Walter Ribeiro (CIC).


A vitória encerrou um tabu de 31 anos contra o Corinthians - REPRODUÇÃO A vitória encerrou um tabu de 31 anos contra o Corinthians - REPRODUÇÃO

Tabu quebrado
 
A vitória do São Bento em Itaquera pôs fim a um tabu de 31 anos. A última vez que o Azulão havia vencido o Corinthians como visitante fora em 15 de abril de 1987, no Pacaembu, pelo estadual daquele ano. O gol alviceleste foi anotado por Renatinho, aos 38 minutos do primeiro tempo. 


Após vacilos no Paulistão, São Bento deu ao técnico a resposta esperada




A vitória contra o Corinthians, na casa do adversário, era a resposta esperada pelo técnico Paulo Roberto Santos após os resultados anteriores no Paulistão. “Conscientizamos nosso grupo de que o ocorrido nas duas partidas anteriores (dois empates em casa, contra Linense e Santo André, concedidos nos minutos finais) não era normal nos últimos cinco anos. Aconteceu, faz parte do futebol, e teríamos de responder com um resultado positivo. Houve aplicação tática em prol do coletivo e o aproveitamento da oportunidade, em uma bola parada que é muito treinada”, disse o treinador.
 
O contraponto entre o bom resultado em Itaquera e os vacilos no CIC também foi feito pelo ala Régis. “O futebol é imprevisível. Não podemos tirar conclusões precipitadas. Os resultados não vieram em casa e, com todas as dificuldades, aqui vencemos. Temos de ressaltar o mérito da equipe”, comemorou, ao final do jogo, à rádio Cruzeiro FM 92,3.
 
Mutante
 
Na opinião do técnico, o São Bento teve sucesso porque assumiu a postura certa nos diferentes momentos do jogo. “Fizemos o gol cedo e passamos pelos momentos normais de dificuldade quando se joga contra o Corinthians fora de casa. É preciso saber quando sofrer e quando contra-atacar para tentar o segundo gol. Sabíamos que, se não encontrassem o gol, eles iriam nos dar espaço”, avaliou Paulo Roberto.