fbpx
Economia

Vendas de veículos zero-quilômetro crescem 9% em Sorocaba

Em 10 meses de 2018, foram vendidas 13.175 unidades e, no mesmo período deste ano, 14.363 veículos
Desafiante mundo novo
Vendas são consideradas expressivas na cidade. Crédito da foto: Divulgação

A venda de veículos novos em Sorocaba cresceu 9% no acumulado de 2019, entre janeiro e outubro, na comparação com mesmo período de 2018. Os dados são da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e incluem carros, comerciais leves, caminhões, ônibus e motos.

No ano passado, em dez meses, as concessionárias venderam 13.175 unidades e neste ano já foram comercializados 14.363 veículos.

Somente no mês de outubro as concessionárias da cidade venderam 1.673 unidades e o resultado é superior ao mês de setembro, quando foram comercializados 1.469 veículos e também melhor na comparação com outubro de 2018, que registrou 1.639 vendas.

Considerando só as motos, houve alta de 15,5% na comparação entres os dez primeiros meses deste ano e 2018, passando de 3.101 vendas para 3.581. Somente no mês passado foram emplacadas 384 motocicletas. Já os carros somam 1.156 vendas em outubro deste ano e no acumulado de 2019 a quantidade de vendas chega a 9.536.

Leia mais  Festa e desfile de cães marcam fim de ano do Colégio Politécnico

Menos expressivas, a Fenabrave aponta que a venda dos chamados comerciais leves, que são as vans e caminhonetes, soma 963 unidades entre janeiro e outubro deste ano. Em outubro foram emplacadas 120 unidades desta categoria. O emplacamento de caminhões chegou a 238 no acumulado de 2019 e de ônibus a 45.

Boa expectativa

O que já vem sendo bom, deve ficar ainda melhor nos próximos meses conforme a expectativa de concessionárias de Sorocaba. Cássio Caproni, gerente de vendas da Honda Walk Motos contou que mês a mês a quantidade de vendas vem crescendo e o melhor mês para a loja foi agosto. “A gente depende basicamente da liberação de crédito e as financeiras estão mais flexíveis e oferecendo juros mais baixos”, disse.

Caproni conta que dependendo da entrada e do prazo para o financiamento, os clientes conseguem adquirir suas motos com taxas de juros que variam entre 1,5% a 2,3%. Entre os modelos mais procurados estão as motos de até 300 cilindradas.

Leia mais  Carne vermelha tem alta de até 52% no prazo de um mês em Sorocaba

“Elas representam 60% das vendas por serem mais econômicas, usadas mais no dia a dia. As de 160 são o nosso carro chefe”, conta o gerente.

O perfil dos clientes varia bastante e a maioria busca a moto por questões de economia e rapidez. Jovens que tiraram habilitação recentemente costumam preferir a motocicleta por ser mais barata que um carro, gastar menos combustível e também mais rápida nos deslocamentos.

“Temos também gente que acaba substituindo o carro pela moto.” Caproni conta que a expectativa é que as vendas continuem crescendo e janeiro deve ser muito bom por conta dos novos modelos que entram no mercado. “Quem compra em janeiro já sai da loja com o modelo 2020.”

Já na Ramires Motors, a concessionária Toyota em Sorocaba, todos os carros novos já estão na versão do próximo ano e por isso, para João Eduardo de Almeida, gerente de vendas da loja, dezembro deve ter bons resultados.

Leia mais  Lojas devem vender 5% mais na Black Friday

“Os nossos últimos dois meses foram excelentes, principalmente por conta dos lançamentos do Corolla, que agora tem na versão híbrida”, afirma. Ele conta que a loja vem tendo fila de espera e o cliente precisa aguardar de 30 a 45 dias para ter seu carro novo.

As boas condições de parcelamento, destaca Almeida, estão alavancando as vendas e são um diferencial da marca. “Para as linhas Etios e Yaris nós temos a taxa zero, então fica bastante atrativo.”

Ele também conta que a concessionária está vendendo com agendamento da primeira parcela somente para fevereiro. “O cliente pode passar o final de ano de carro novo, paga as contas mais pesadas e só depois começa a pagar o financiamento”, conta o gerente.

Sobre a modalidade de venda, Almeida conta que 50% dos clientes preferem pagar à vista. (Larissa Pessoa)

Comentários