Economia

Venda de veículos vive fase otimista em Sorocaba

Concessionárias comercializaram 32% a mais em outubro na comparação com mesmo mês de 2017
Venda de veículos vive fase otimista
No acumulado de 10 meses do ano, o crescimento é de 10% . Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (3/8/2018)

A venda de veículos novos em Sorocaba no mês de outubro apresentou novamente números expressivos, consolidando a recuperação no setor. Representantes de concessionárias ouvidos pela reportagem acreditam que a tendência é de que os “bons ventos” continuem.

Houve crescimento de 10,4% na venda de veículos novos nos 10 primeiros meses de 2018 se comparado ao mesmo período do ano passado. Dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) apontam 13.175 emplacamentos ante 11.925. O percentual é ainda mais significativo se levado em consideração outubro deste ano e o mesmo mês de 2017: neste caso, o salto foi de 32,1%, com 1.639 aquisições contra 1.240.

As concessionárias da cidade venderam 203 veículos a mais de setembro para outubro de 2018: de 1.436 para 1.639. Entre os tipos de veículos vendidos no mês passado foram 1.176 automóveis, 348 motos, 104 comerciais leves, nove caminhões e dois ônibus.

Crescimento constante

Segundo o gerente de vendas da unidade matriz da Automec, Luiz Dias, a melhor fase do setor tem sido percebida desde o início de 2017. “A nossa linha mudou bastante em 2017 e foi muito bom. Mas, agora, a gente percebe um mercado muito mais otimista, com as taxas de juros caindo bastante. Estamos com a menor (taxa) Selic da história, o cenário político deu uma estabilizada. Então, a expectativa é de dias muito melhores”, afirma.

Venda de veículos vive fase otimista
Luiz Dias: taxas de juros menores e compradores decididos. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (14/5/2018)

Dias cita, ainda, que tem sido significativa a compra de automóveis por pessoas com deficiência, que podem requisitar isenção de impostos.

Para o gerente, o perfil dos consumidores tem mudado com o passar do tempo. “O cliente está mais informado, mais exigente, já chega praticamente decidido na agência. Por isso, nós sempre buscamos estratégias para melhorar o serviço. O cliente não permite ‘mesmice’, temos que inovar sempre e estar atento às mudanças do mercado”, comenta.

Luiz Dias ressalta a necessidade de a equipe de vendas estar sempre preparada para não ser “engolida” pela concorrência. “Antigamente tinha aquele ditado ‘vamos em frente que atrás vem gente’, mas agora eu costumo dizer que é ‘vamos em frente porque já tem gente na nossa frente’”, diz.

O gerente de novos da concessionária Felivel, Henrique Botelho, avalia que o aumento nas vendas vem acontecendo de forma gradual. “Porque o número caiu muito nos dois anos anteriores, então a recuperação é lenta, mas existe”, diz ele, que espera um crescimento de 10 a 20% para os dois últimos meses deste ano. “Nós até contratamos mais quatro vendedores para poder atender, porque a demanda de clientes na loja aumentou.”

Embora a expectativa seja boa para o fim do ano, Botelho admite que o perfil dos consumidores, atualmente, já não é mais o de comprar veículos em um período específico. “Isso mudou muito, assim como hoje em dia os clientes têm várias informações na palma da mão, para fazer a aquisição mais conscientemente.”

Comentários

Sobre o Autor

Esdras Pereira