Economia

Shopping centers preparam promoções da Black Friday

Consumidores aguardam descontos vantajosos para a sexta-feira
Shopping centers preparam promoções da Black Friday
O comércio baixa os preços para reduzir os estoques a um mês do Natal. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (24/11/2017)

Promoções e descontos mexem, inevitavelmente, com a cabeça dos consumidores, mesmo com o dinheiro curto e em período de recuperação da economia. Um dos ápices dessa “injeção de ânimo” ocorre na Black Friday, próxima sexta-feira, dia 23. A data é tradicional nos Estados Unidos e vem se consolidando no Brasil nos últimos anos. Os lojistas dos shopping centers de Sorocaba devem, em sua maioria, aderir ao dia destinado às grandes ofertas.

O shopping Iguatemi Esplanada lançou um hotsite com promoções exclusivas de mais de 40% nos produtos. Para conseguir os descontos, os clientes precisarão levar um print do item à loja. Atualmente, são 369 lojas em funcionamento no centro de compras e todas vão participar, segundo a gerente de marketing, Gabriela Caires. “A nossa expectativa é bem bacana, queremos que o cliente perceba que o desconto realmente está acontecendo”, afirma.

No Pátio Cianê Shopping há uma “superexpectativa” para a data que, de acordo com a gerente de marketing, Tassia de Carvalho, é a segunda que mais vende no varejo. No shopping, a Black Friday ganhará um novo nome, o de “Black Sextou”, termo rotineiramente usado pelo público mais jovem. “Mais de 70 lojas vão abrir às 8h. O nosso fluxo diário é de 30 mil, mas a nossa projeção é de ‘bater’ 50 mil pessoas na sexta-feira”, diz Tassia, que projeta crescimento de 15% nas vendas em relação ao ano passado.

Leia mais  PL prevê parceria de empresas com Correios

As lojas do Sorocaba Shopping abrirão às 7h na sexta-feira e a campanha deve, conforme o gerente de marketing Lucas Volpi, aumentar o fluxo nas chamadas “lojas âncoras”. “Temos 101 lojas e acreditamos que ao menos 80% vão participar”, prevê.

No Shopping Cidade Sorocaba, a aposta é estender a ação da Black Friday até o dia 25. “Teremos adesão da maior parte dos lojistas. Os que investem no setor de eletrodomésticos, principalmente, já se preparam para essa data”, informa a gerente de marketing, Juliana Ramon.

Expectativa

De acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o setor tem expectativa de faturar 8% a mais no período da Black Friday deste ano em comparação com 2017. Além dos descontos, alguns empreendimentos também oferecerão outras vantagens aos clientes, como horários diferenciados de abertura e estacionamento gratuito. Os segmentos que devem ter maior volume de vendas nesta semana são de telefonia, artigos de informática e vestuário.

Supermercados participam de liquidação

A Associação Paulista de Supermercados (Apas) estima que cerca de 50% dos empresários do setor vão fazer ações para a Black Friday. Haverá anúncios nas redes sociais e descontos nos preços de bebidas. “De fato, a Black Friday é muito forte no setor na categoria de bebidas alcoólicas por uma série de fatores, como parcerias com a indústria, o clima mais quente, a proximidade com o Natal e por ser a categoria que lançou o varejo alimentar a participar do evento”, segundo o economista da Apas, Thiago Berka.

Leia mais  Auxílio emergencial terá teto de R$ 40 bi

Procon alerta para cuidados

Shopping centers preparam promoções da Black Friday
Laerte Molleta deu dicas. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (1/7/2016)

A pedido do Cruzeiro do Sul, o superintendente do Procon de Sorocaba, Laerte Molleta, deu algumas dicas aos consumidores para a Black Friday. Confira:

– Planejamento: Liste os produtos que precisa e estipule um limite de gasto para não estourar o orçamento.

– Acompanhamento: Observe, antes, os preços dos produtos, para identificar as melhores ofertas e conferir os descontos.

– Reputação: A Fundação Procon-SP tem, no endereço procon.sp.gov.br, o ranking das empresas que têm mais reclamações de consumidores.

– Prazo de arrependimento: Em aquisições fora do estabelecimento comercial (internet, telefone, em domicílio), o consumidor tem 7 dias a partir da compra/entrega para “se arrepender”, cancelar, devolver o produto e pedir a devolução do valor pago. É importante, também, verificar a política de troca dos fornecedores.

– Página oficial: Acesse sempre as páginas oficiais das lojas, tome cuidado ao clicar em links de ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais

Leia mais  Plano de Biden é aprovado pela Câmara antes de seguir para o Senado

– Salvar informações: O consumidor deve salvar ou imprimir todas as telas navegadas para efetuar a compra, como as folhas de contratação (com preço, forma de pagamento, características e previsão de entrega). E, obviamente, sempre exigir a nota fiscal.

Comentários