Economia

Serviços recuperam parte das perdas

Serviços recuperam parte das perdas
Alta foi de 1,8% em setembro e de 8,6% no 3º trimestre. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (19/12/2016)

A alta de 1,8% no volume de serviços prestados em setembro ante agosto, informada ontem pelo IBGE, confirmou a retomada do setor, mas mais lenta do que a recuperação do varejo e da indústria, que já eliminaram as perdas com a crise da Covid-19. Por causa do caráter eminentemente presencial das atividades, mesmo após cinco meses de avanços, o setor não recuperou o nível de fevereiro. A alta de 8,6% no terceiro trimestre ante o segundo ficou longe do tombo de 15,5% no segundo trimestre ante os três primeiros meses do ano.

Mesmo assim, como essa lentidão já era esperada, o dado do IBGE confirma a retomada da economia como um todo no terceiro trimestre, segundo economistas. “Os serviços mostraram discreta desaceleração entre agosto e setembro, com redução do crescimento de 2,9% para 1,8%, mas ainda assim foram quatro meses seguidos de crescimento e um resultado acumulado positivo no trimestre”, afirmou o economista sênior do Banco ABC Brasil Daniel Xavier.

Com o desempenho dos serviços, o economista-chefe do ASA Investments, Gustavo Ribeiro, elevou a projeção de alta do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre ante o segundo, de 8,5% para 8,7%. A economista Natalie Victal, da gestora Garde Asset, viu um “viés de alta” nas expectativas em relação ao desempenho da economia como um todo no terceiro trimestre. No segundo trimestre, no auge da recessão causada pela Covid-19, o PIB tombou 9,7% ante os três primeiros meses do ano. (Estadão Conteúdo)

Comentários