Economia

Prysmian inaugura nova sede em Sorocaba

A unidade da empresa no bairro Éden recebeu investimentos de R$ 130 milhões na ampliação e modernização



Empresa produz cabos e investimentos somaram R$ 130 milhões. Crédito da foto: Panóptica Multimídia

O Grupo Prysmian inaugurou oficialmente em Sorocaba, quarta-feira (10), sua nova sede na América Latina. A unidade da empresa no bairro Éden recebeu investimentos de R$ 130 milhões na ampliação e modernização da produção de cabos; um novo edifício que abrigará o corpo administrativo nacional e latino-americano; além de um Centro de Excelência, que deve inaugurar até o final do ano um laboratório em que serão realizadas pesquisas e desenvolvimento em energia e telecomunicações.

A unidade de produção no bairro Boa Vista também recebeu melhorias, totalizando assim R$ 150 milhões em investimentos na cidade. O projeto de ampliação gerou 250 empregos diretos em Sorocaba desde 2017. O acréscimo em área construída na unidade do Éden chega a 23 mil metros quadrados, segundo a empresa. O grupo possui aproximadamente 900 funcionários na cidade, entre fábrica e escritório.

De acordo com o diretor da Prysmian no Brasil, João Carro Aderaldo, o País é o mercado mais importante para empresa na América Latina e Sorocaba tem localização estratégica. “Sorocaba é uma cidade que está nesse triângulo que a gente chama de desenvolvimento, com São Paulo e Campinas.” Ele destaca a relevância da cidade no mercado de fibras ópticas e destacou o Centro de Excelência que a unidade passa a abrigar. “Nós temos aqui engenheiros da América Latina inteira, aproximadamente 48 pessoas, e temos um laboratório que está em construção e nos ajudará na pesquisa se cabos, compostos e uma série de outras partes que fazem parte dos cabos”, conta.

Leia mais  60% dos jovens brasileiros defendem aumento de investimentos na ciência, diz Fiocruz

 

A Prysmian desenvolve cabos para energia, telecomunicações, infraestrutura e construção, mobilidade e transportes, indústrias e ofertas eletrônicas. “O mercado de energia segue crescendo no Brasil. A gente tem bons volumes e bons resultados nesse segmento, tanto na geração quanto transmissão, e a gente acredita que nos próximos anos siga essa tendência”, avalia.

Participando da inauguração, o CEO global da Prysmian, Valerio Battista, e o CEO da América Latina, Juan Mogollon, ressaltaram a longevidade da empresa (que fez 90 anos em 2019) em meio a turbulências econômicas e políticas. Eles colocaram como exemplo a Argentina, cuja crise espanta empresas competidoras, mas onde pretendem continuar. Para os executivos, é preciso sobreviver à “tempestade”. Ecoando essa filosofia, reforçaram o compromisso com o investimento no Brasil, apontando que o mercado deve demandar novas tecnologias e gerar oportunidades no futuro.

O grupo possui 112 plantas distribuídas em mais de 50 países. Na América Latina são 4.100 funcionários em 13 plantas e oito países. No Brasil, são 1.500, em sete plantas, de cinco Estados. Em 2018, o faturamento da empresa no País atingiu R$ 1,9 bilhão. (Priscila Fernandes)

Comentários

CLASSICRUZEIRO