Brasil Economia

Novo auxílio começa ser pago na terça

Governo prevê parcelas para cerca de 45,6 milhões de pessoas, em um total de R$ 44 bilhões
Novo auxílio começa ser pago na terça
Presidente Jair Bolsonaro e ministros lançaram ontem cronograma do benefício. Crédito da foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil (31/3/2021)

Milhões de famílias em situação de vulnerabilidade social começam a receber, na próxima terça-feira, dia 6, a primeira das quatro parcelas do novo auxílio emergencial. O governo federal prevê conceder o benefício a cerca de 45,6 milhões de pessoas este ano. Os recursos serão depositados nas contas digitais que foram abertas pela Caixa para os beneficiários no ano passado.

Na terça-feira, começam a receber os trabalhadores informais, microempreendedores individuais, desempregados e outras pessoas afetadas pela pandemia da Covid-19 nascidas no mês de janeiro, além de integrantes do Cadastro Único do governo federal. Beneficiários do Bolsa Família receberão de acordo com o calendário habitual do programa, que, em abril, começa a ser pago no dia 16.

As pessoas não terão direito a sacar os recursos no mesmo dia em que receberem, conforme explicou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, durante anúncio feito ontem no Palácio do Planalto pelo presidente Jair Bolsonaro.

Leia mais  Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 33 milhões

O objetivo do escalonamento é motivar as pessoas a usarem os dispositivos digitais e, assim, evitar a ida a bancos e agências lotéricas. “Vamos minimizar as filas, pagando o mais rápido possível, com o mínimo de aglomeração possível”, acrescentou Guimarães.

O calendário completo de pagamentos e saques pode ser acesso no site do Ministério da Cidadania. Cerca de R$ 44 bilhões foram destinados ao novo auxílio emergencial.

Conforme destacou o ministro da Cidadania, João Roma, durante o anúncio desta manhã, as quatro parcelas de, em média, R$ 250, serão pagas a uma pessoa por família, sendo que mulheres chefes de família receberão R$ 375, enquanto indivíduos que vivem só família unipessoal receberão R$ 150.

Após o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial, os beneficiários do público geral (fora do Bolsa Família) terão de esperar entre 40 e 47 dias para receber a segunda prestação da ajuda, segundo cálculos feitos pelo Estadão/Broadcast a partir do calendário divulgado ontem pelo governo.

Leia mais  Covid-19: pessoas já infectadas devem esperar um mês antes de vacinar

Os nascidos em janeiro receberão o primeiro depósito em 6 de abril, mas a segunda parcela cairá na conta apenas em 16 de maio. O intervalo é de 40 dias — mesma diferença para os nascidos em fevereiro.

Beneficiários nascidos em março e junho, por sua vez, esperarão 42 dias entre o primeiro e o segundo pagamento. Já quem faz aniversário em abril, maio e julho terá de esperar 43 dias a partir da primeira prestação da ajuda.

Para os nascidos em agosto, setembro, outubro e novembro, o intervalo será ainda maior, de 45 dias.

Quem faz aniversário em dezembro enfrentará a maior espera: 47 dias entre o primeiro depósito (30 de abril) e o segundo (16 de junho).

Para o pagamento da terceira e da quarta parcela do auxílio, o intervalo será menor, mas ainda assim maior que um mês. A espera ficará entre 32 e 35 dias.

Os cálculos levam em conta o calendário para depósitos na poupança social digital criada em nome do beneficiário pela Caixa. (Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

Comentários