Economia

Indústrias da região demitem 1.650, diz pesquisa do Ciesp

Queda nas exportações de veículos influenciaram resultado de junho
Indústrias da região demitem 1.650, diz pesquisa do Ciesp
Segmento de veículos e autopeças foi um dos mais afetados. Crédito da foto: Divulgação

A Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp) divulgaram na última quarta-feira (17) o resultado da pesquisa de emprego do mês de junho de 2019. A região de Sorocaba, composta por 48 municípios, apresentou variação negativa, o que representa uma queda de 1.650 postos de trabalho.

Leia mais  Ciesp e Acso criticam aumento na energia na região de Sorocaba

 

Dados da pesquisa demonstram que no acumulado deste ano houve redução de 1.300 vagas. Nos últimos 12 meses, o resultado também é negativo, com o fechamento de 650 postos.

Os segmentos da indústria que influenciaram no resultado de junho na região de Sorocaba foram: produtos de borracha e de material plástico (-13,54%), veículos automotores e autopeças (-5,15%), máquinas e equipamentos (-0,92%) e produtos de metal (-3,13%).

De acordo com o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, o desempenho de junho é reflexo da crise na Argentina, que é um grande parceiro comercial do Brasil, e da morosidade na aprovação das reformas estruturais.

“A retração das vendas para o mercado argentino impactaram a região de Sorocaba, que exporta principalmente autopeças e automóveis”, avalia Syllos. “Nos últimos 12 meses, as vendas de automóveis para os consumidores argentinos foram reduzidas em 60,9% e isso teve um impacto de 9% de queda na produção de veículos brasileiros”, diz o dirigente empresarial.

A Toyota, com fábricas em Sorocaba e Porto Feliz, confirmou em junho a demissão de 840 trabalhadores com o fim do terceiro turno, em consequência da queda nas exportações.

Em relação aos próximos meses, Syllos tem boa expectativa. “Esperamos que com a efetivação da reforma da Previdência novos investimentos cheguem ao País, fomentando a retomada da economia e o crescimento do setor industrial.”

No Estado

A indústria paulista fechou 13 mil postos de trabalho em junho. No entanto, mesmo com esse resultado negativo no mês, o setor contabilizou saldo positivo no primeiro semestre, com a abertura de 2.500 vagas.

Entre os segmentos acompanhados pela pesquisa, 77% apresentaram variações negativas, com quatro contratando, 17 demitindo e um permanecendo estável.

Os principais destaques negativos foram veículos automotores, reboque e carroceria, com 2.260 demissões; produtos alimentícios, com fechamento de 2.074 vagas; e confecção de artigos do vestuário e acessórios, com desligamento de 1.305 trabalhadores.

No campo positivo ficaram, principalmente, produtos diversos (318); bebidas (199) e celulose, papel e produtos de papel (156).

Entre as 37 diretorias regionais, 76% apresentaram resultados negativos. A que mais demitiu em junho foi São Paulo, com 2.050 vagas a menos, sob influência principalmente dos segmentos de confecções e artigos de vestuário e máquinas e materiais elétricos.

A pesquisa do nível de emprego da indústria paulista é realizada pelo Ciesp/Fiesp por meio do Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos (Depecon) e das diretorias regionais. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO