fbpx
Economia

Esta Páscoa será dos bombons

Com preços elevados, os ovos de chocolate não devem ser itens mais procurados este ano
Esta Páscoa será dos bombons
Bombons tiveram queda de 3,90% nos preços. Crédito da foto: Fábio Rogério

Faltando pouco mais de um mês para a Páscoa, que este ano será celebrada no dia 21 de abril, uma pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (Apas) aponta que as caixas de bombons e bombons devem ser os itens mais procurados pelos consumidores nos supermercados, onde os tradicionais ovos de Páscoa vêm perdendo espaço ano a ano, por conta dos preços mais elevados. Segundo a Apas, os bombons estão mais baratos que os ovos de chocolate. Enquanto os bombons tiveram queda de 3,90% nos preços, os ovos de Páscoa estão, em média, 5% mais caros em relação ao ano passado. O preço do chocolate em barra este ano também está maior e teve aumento de 5,62% em relação a Páscoa anterior. Até por conta do aumento no preço do chocolate, que é a matéria-prima principal dos tradicionais ovos de Páscoa, este ano os supermercados devem investir menos na quantidade dos produtos, com destaque para ovos em tamanhos menores, com menos de 500 gramas.

De acordo com a Apas, os supermercados também sofrem com a concorrência das lojas especializadas em chocolates, que oferecem produtos diversificados e cada vez mais conquistam o paladar dos consumidores, com sabores diferentes e novidades. Elas, aliás, apresentam um crescimento até quatro vezes maior do que dos chocolates tradicionais, e com rápida expansão de lojas, de redes de franquias de chocolates, com 60% delas concentradas na região Sudeste do País. Em Sorocaba não é diferente e as boutiques de chocolates premium e bombonieres só aumentam. No início do mês, a cidade ganhou a primeira loja especializada em chocolates chamada Amor & Chocolate, uma franquia da fábrica Cacau dos Deuses, na avenida Pereira da Silva, no Jardim Santa Rosália.

Leia mais  Preços da construção civil sobem 0,19% em outubro
Esta Páscoa será dos bombons
Laís é proprietária de uma loja especializada em chocolates. Crédito da foto: Emidio Marques

A proprietária, Laís Maíra Tomé Tonelli, afirma que a venda dos ovos de Páscoa na loja já começou e teve cliente que comprou, já consumiu o chocolate e retornou para comprar mais. “Compramos cerca de mil unidades de ovos de vários tamanhos e sabores, com a novidade de ovos recheados de marshmallow e creme de avelã, além dos tradicionais trufados nos sabores damasco, morango, cereja maracujá e coco, e outros como zero lactose, 70% cacau, crocante, com frutas secas, morango, e ainda ovos de colher.

 

Vendas devem ter aumento de até 5%

A Páscoa ainda é a segunda melhor data para o varejo de alimentos, não só pelos chocolates, mas pelas compras de almoço e/ou jantar que as famílias realizam. Por conta disso, os supermercados esperam aumento de 5% nas vendas no período da Páscoa este ano em relação ao ano passado. Em relação às vendas, os supermercadistas esperam um crescimento maior nas caixas de bombom, com alta de 5,88%. O que segue a tendência dos últimos anos de crescimento deste produto na medida que o consumidor migra para versões mais baratas e com custo-benefício maior.

O ovo de Páscoa terá um tímido crescimento de apenas 2,40%. Isso é um reflexo do produto saindo do gosto do consumidor que tem mais informações de que o preço por quilo não é tão vantajoso, e opte por produtos mais baratos. “O bombom promete ser o destaque desta Páscoa uma vez que demonstra queda de mais de 3% nos preços. Com o brasileiro buscando economizar ele deve ser uma alternativa para presentear e substituir os tradicionais ovos de Páscoa de chocolate”, avaliou o economista da Apas, Thiago Berka.

Esta Páscoa será dos bombons
Os ovos de Páscoa estão, em média, 5% mais caros. Crédito da foto: Fábio Rogério

No caso dos supermercados, a Apas aponta a diminuição das parreiras e colocação de ilhas e mudança do mix de produtos (mais barras e caixas de bombom e menos ovos de Páscoa grandes) com os ovos de 500 gramas até 1 quilo perdendo espaço. E os de maior giro de até 250 gramas ganhando força, principalmente no segmento infantil.

Leia mais  Cesta Básica: Itens essenciais têm alta em Sorocaba em outubro

“Já nos minimercados e lojas de proximidade (mercados de vizinhança), o sortimento limitado pelo espaço físico deve ser muito assertivo, com uso de ovos de Páscoa como compra de emergência, de última hora, com apenas algumas marcas e tipos e a utilização da gôndola de doces e biscoitos para colocação do reforço de mix de barras e caixa de chocolate”, diz a Apas.

Fabricação caseira também terá alta

Esta Páscoa será dos bombons
Gabriel aposta em itens para produção caseira. Crédito da foto: Erick Pinheiro

As lojas que vendem produtos para a fabricação de ovos de chocolate caseiros, as chamadas atacarejistas, esperam um crescimento nas vendas entre 10% a 20% nas vendas de ingredientes para produção de ovos de páscoa, cupcakes, bombons, balas e outros tipos de doces caseiros. Segundo a Apas, o nicho não para de crescer e atende pequenos empreendedores e autônomos que atuam na economia informal e aproveitam o período da Páscoa para produzir e vender ovos de chocolate caseiros.

Leia mais  Região de Sorocaba lidera em novos empregos na indústria

Na loja de doces Trettel, que fica no Além Ponte, o proprietário Gabriel Silveira Trettel, afirma que espera um aumento entre 10% a 15% na venda de barras de chocolate e demais produtos para a produção de ovos de Páscoa caseiros. Ele disse que comprou a mesma quantidade de produtos que a Páscoa anterior, mas não divulgou o total. Em relação aos preços do produto, Gabriel disse que houve reajuste em torno de 10% nos valores das barras de chocolate e demais produtos. “Temos barras de vários tamanhos, diversas linhas de chocolates e preços a partir de R$ 15, além de formas para ovos e bombons e embalagens”, diz.

Esta Páscoa será dos bombons
Ovos de Páscoa perderam espaço de exposição para outros itens. Crédito da foto: Fábio Rogério

Páscoa gera vagas temporárias

Na fábrica Trufona Braslen Chocolates, em Votorantim, o proprietário Thiago Fernando dos Santos, afirma que já contratou dois funcionários temporários por conta da produção de ovos, trufas e coelhos de chocolates para a Páscoa 2019, e que ainda deverá contratar pelo menos mais seis pessoas na próxima semana. “Estou só finalizando alguns pedidos para definir a quantidade que será produzida e quantos temporários a mais serão necessários para atender a demanda”, afirma. No entanto, no mesmo período do ano passado, a fábrica contratou 22 temporários. A previsão este ano é produzir cerca de 50 mil produtos, entre ovos, trufas e bombons. (Ana Cláudia Martins)

Comentários