Economia

Empresários se unem em encontros virtuais para a troca de experiências

Em tempos de isolamento social, as videoconferências se tornaram uma alternativa viável
Cerca de 300 empresários, divididos em 10 grupos, participam das reuniões semanais. Crédito da foto: Reprodução

A pandemia do novo coronavírus é um problema que tem afetado todas as esferas da sociedade, da saúde à economia. Especialistas de diversas áreas têm se debruçado sobre o tema. Focados em mitigar os impactos da Covid-19 nos negócios, um grupo de empresários das regiões de Sorocaba e Itapetininga viram na tecnologia uma forma de se unir para sair dessa crise.

Em tempos de isolamento social, as videoconferências se tornaram uma alternativa viável para que representantes de diversos setores discutam ações de enfrentamento da crise econômica.

Cerca de 300 empresários, divididos em 10 grupos, participam das reuniões semanais organizadas pela Business Network International (BNI), uma organização mundial de networking de negócios. Nos encontros, os participantes receberem orientações, trocam experiências e assistem a palestra virtuais com integrantes de outras regiões.

Para o gerente executivo da organização, Fábio Torres, os encontros virtuais são uma forma eficaz de achar soluções coletivas para problemas coletivos que afligem a classe. “Eles se encontram todas as semanas e na reunião contam o que estão fazendo e quais negócios eles estão desenvolvendo. Participando desse grupo, o empresário tem três coisas fundamentais: informação, uma rede de apoio e a possibilidade de geração de oportunidades”, relatou. Torres destaca que entre as demandas recorrentes estão as estratégias de divulgação, a necessidade de captação, manutenção de clientes e criação de novos produtos e serviços.

A empresária Michele Garcez. Crédito da foto: Divulgação

Com o início da quarentena, imposta pelo decreto estadual de 22 de março, Michele Garcez viu sua empresa de consultoria e implantação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) perder todos os seus clientes. No momento de crise, a empresária viu nas reuniões por videoconferência uma forma de minimizar os impactos da baixa demanda.

Leia mais  Produção de aço cresce 10% no Brasil

“Minha demanda de trabalho era alta desde o início do ano, hoje eu estou sem clientes. Fazer parte do BNI me coloca em contato com outros empresários, mostrando a importância do meu trabalho captando novos clientes” afirmou a empresária. “Nós dividimos as dores e achamos juntos uma forma de nos apoiar. Assim eu posso trazer outras empresas que confio para atender meus clientes, eles me apresentam os clientes deles e assim aumentamos nossa rede de relacionamento”, afirmou Michele.

Soluções digitais

Com a suspensão das atividades presenciais em diversos setores não classificados como essenciais pelo decreto estadual, a internet tem servido para manter os negócios ativos. Sem poder realizar visitas aos apartamentos decorados, a Construtora Planeta investiu no tour virtual 360º. De casa ou do escritório, os clientes podem conhecer o portfólio de produtos da empresa com os apartamentos decorados.

Leia mais  BC: expectativa é de que 2º semestre seja melhor em termos de atividade

Ricardo Guimarães, diretor-presidente da empresa, destaca que a pandemia acabou acelerando a digitalização dos processos da empresa. “A Construtora Planeta já vinha desenvolvendo um trabalho de transformação digital que foi acelerado por este contexto atual que estamos vivendo. Com isso, largou na frente e adotou uma série de tecnologias para melhorar a experiência do cliente, aumentando a segurança durante esse período”, analisou o empresário. Depois das visitas, os clientes ainda têm a possibilidade de realizar atendimentos com representantes da construtora por videoconferência para solicitações ou dúvidas sobre o negócio.

Para o diretor regional da BNI, a união e a inovação serão fundamentais para os empresários prosperarem no futuro de pós-pandemia. “Nós vamos voltar para um novo normal que nós ainda estamos aprendendo. Quem está em rede, quem está trabalhando com uma filosofia de colaboração, está se fortalecendo. Quem voltar sozinho estará numa situação bem caótica. Quem está se ajudando desde agora, estará mais preparado”, garantiu o especialista. (Wesley Gonsalves)

Comentários