fbpx
Economia

Empreender é opção ao desemprego em Sorocaba

Sem trabalho com carteira, pessoas passam a prestar serviço ou abrem pequenos comércios
Empreender é opção ao desemprego
Cabeleireiro é um dos serviços mais formalizados em Sorocaba. Crédito da foto: Luiz Setti / Arquivo JCS (27/1/2016)

Em tempos de dificuldades econômicas, mas com sinais de recuperação, muita gente que se desligou do mercado formal de trabalho aproveita habilidades pessoais para prestar serviços ou abrir pequeno comércio. É a saída para suprir pelo menos parte dos ganhos perdidos de quando tinha carteira assinada.

Com início normalmente na informalidade e alcançando resultados, esses microempreendedores buscam se formalizar. Um dos reflexos desse comportamento é a elevação dos registros dos Microempreendedores Individuais (MEIs), oportunidade aberta para negócios com faturamento de até R$ 81 mil ao ano.

A formalização de MEIs traz vantagens, como reconhece o economista Adilson Rocha, professor da Faculdade de Tecnologia (Fatec) e da Faculdade de Engenharia (Facens) de Sorocaba. Ele observa que como MEI o trabalhador tem condições de contribuir com o INSS e também com o País, de abrir conta em banco e ter acesso ao crédito: “O MEI veio contribuir para ele se mostrar para o mercado como pessoa jurídica.”

Empreender é opção ao desemprego
Economista Adilson Rocha: habilidade é usada para gerar renda. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (6/7/2015)

Um cozinheiro de Sorocaba, que produz salgados e prefere não se identificar, disse que procurou informações em escritório de contabilidade para avaliar se poderia se formalizar como MEI. Ciente de que para isso teria que ter um endereço fixo para o seu negócio, disse que ainda não é possível se formalizar porque produz os alimentos em dois locais, em casa e na chácara de um parente. Ter endereço fixo exigiria alugar ou comprar um imóvel, o que ainda não é possível. Nem o lugar onde reside é alternativa, porque mora em apartamento. Por isso, ainda continua na informalidade.

Crescimento

Apesar de restrições para se formalizar, os microempreendedores individuais estão em crescimento. Os MEIs são ao todo 34.531 em Sorocaba, segundo dados oficiais do portal do empreendedor.

O município de Sorocaba é considerado o 5º do Estado de São Paulo em volume de formalizações. Em comparação ao ano de 2017 com 2018 houve um crescimento de 45,56% de MEIs. As informações são da Prefeitura de Sorocaba.

As principais atividades formalizadas são cabeleireiros, comércio varejista de acessórios de vestuário, fornecimento de alimentos preparados, manutenções prediais, promoção de vendas, lanchonetes, casas de chá, sucos e similares, transporte rodoviário de carga e outras atividades de tratamento de beleza.

Empreender é opção ao desemprego
Profissionais de manutenção predial são bastante requisitados. Crédito da foto: Adival B. Pinto / Arquivo JCS (17/6/2010)

De acordo com a Junta Comercial de São Paulo, que é o órgão responsável pelos registros empresarias, o município de Sorocaba tem um resultado acumulado de 92.265 empresas sendo que 76.381 são Micro empresas, incluindo MEIs.

Para o economista Adilson Rocha, a formalização como MEI está diretamente ligada às questões econômicas. “A pessoa não arruma emprego, vai batendo o desespero e está acabando o dinheiro. Tem alguma habilidade e acaba usando essa habilidade para gerar renda.” Segundo ele, a formalização mostra a seriedade do prestador de serviço, além de qualidade e garantia.

Na sua análise, mesmo que o País retome a geração de emprego formal, pessoas atualmente desempregadas podem não conseguir recolocação a curto prazo. Mesmo assim, se a previsão de cenário otimista se concretizar, calcula que o reencontro com o mercado formal de trabalho se dará de forma gradativa. Paralelamente, acrescenta, o negócio pode dar tão certo que muitos microempreendedores queiram prosseguir com a nova atividade.

Comentários