Economia

Efeito Biden puxa alta na Bolsa e recuo no dólar

Efeito Biden puxa alta na Bolsa e recuo no dólar
Confirmação sobre Biden trouxe alívio ao mercado. Crédito da foto: Angela Weiss / AFP (9/11/2020)

O mercado de ações refletiu o bom humor dos investidores no primeiro dia útil desde que Joe Biden foi declarado o novo presidente dos Estados Unidos, e isso tanto no Brasil quanto no exterior. As principais Bolsas abriram e fecharam seu pregões de ontem com altas expressivas. Um movimento que, para os analistas, já aponta para um novo estado de espírito dos mercados com relação aos rumos da política na principal economia do mundo. Ânimo que, ontem, ganhou fôlego extra, com notícias sobre o avanço no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.

Antes da abertura dos mercados no Brasil e nos Estados Unidos, a farmacêutica Pfizer e a empresa de biotecnologia BioNTech apresentaram uma análise clínica preliminar apontando que sua vacina, atualmente em fase de desenvolvimento, registrou eficácia de mais de 90% na proteção das pessoas contra a infecção da Covid-19.

O anúncio, associado ao avanço da apuração das eleições nos EUA no fim de semana, que resultou na vitória de Joe Biden, levou o Ibovespa, principal índice de ações no Brasil, a fechar o pregão em alta de 2,6%, aos 103.515 pontos, alcançado seu maior nível desde 6 de agosto, quando bateu 104 mil pontos. O dólar, que chegou a cair 3% no dia, a R$ 5,22, obteve uma jornada praticamente estável, em leve queda de 0,04%, cotado a R$ 5,3917. (Estadão Conteúdo)

Comentários