Economia

Cotas do PIS/Pasep ajudam a pagar contas

Agências da Caixa abrem mais cedo, às 8h, para o saque do benefício; valor médio liberado é de R$ 1.500
Os saques e as dúvidas sobre o PIS levaram centenas de pessoas à agência Caixa da rua Álvaro Soares, no Centro. Crédito da foto: Emídio Marques

O movimento nas agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal aumentou desde terça-feira (14) por conta da liberação dos saques das cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). Esses valores são os recursos anuais depositados nas contas de trabalhadores entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988, antes da Constituição.

Os saques podem ser feitos por pessoas de qualquer idade até o dia 28 de setembro. Depois desse prazo, somente pessoas com mais de 60 anos ou em caso de aposentadoria conseguirão ter acesso ao dinheiro. O valor médio liberado é de R$ 1.500. As instituições financeiras não divulgam a estimativa de saques por município ou região. Ao todo, 57 milhões de pessoas devem ser beneficiadas com a medida provisória que liberou o resgate das cotas do PIS/Pasep.

Na manhã de quinta-feira (16), na agência da Caixa da rua Álvaro Soares, no Centro, muitas pessoas procuraram a instituição para sanar dúvidas. O aposentado João da Costa Silva, 66 anos, foi resolver outras pendências e aproveitou para saber se teria direito ou não ao benefício. “Eu não me recordo se quando me aposentei já saquei o que tinha, mas vou aguardar na fila para saber”, contou.
Em situação semelhante está Benjamin Alves, 67, aposentado há 14 anos. “Me aposentei como metalúrgico e espero ter algum dinheiro ainda para receber.” Ele conta que embora não saiba se tem cotas e nem mesmo o valor que talvez possa sacar, já sabe qual destino dará ao dinheiro extra. “Contas não faltam, então esse dinheiro, se vier, será em boa hora”, contou bem humorado, enquanto aguardava por informações na fila da agência.

Leia mais  Saque do PIS/ Pasep soma R$ 6,3 bi em oito dias

A expectativa para saber se tem direito ao benefício também levou a autônoma Maria Aguida da Silva, 55, ao banco. Ela conta que entre 1971 e 1988 trabalhou como balconista com carteira assinada e por isso acredita que possui cotas. “Eu vi na TV e já vim saber se posso ou não pegar esse dinheiro. Não vou deixar para o governo e se tiver aproveito para pagar dívidas”, afirmou.

O gerente de atendimento e governo da agência, Marco Antonio Leite, avisa que as unidades da Caixa estão abrindo às 8h para atender toda a demanda. A abertura com duas horas de antecedência começou na terça-feira e deve ser mantida ainda hoje. “Na terça-feira o movimento foi ainda maior e atendemos aproximadamente 500 pessoas com dúvidas sobre o PIS.” Para organizar e agilizar o atendimento, funcionários orientam e quem já tem o Cartão Cidadão é encaminhado para o caixa eletrônico imediatamente.

Dinheiro garantido

A bancária aposentada Mariza Vasques Junqueira Leite, 63, consultou o site do PIS e tem direito ao saque, porém já tentou fazer isso por cinco vezes e ainda não conseguiu. Ela preencheu o cadastro e mesmo assim, por conta de quedas no sistema da Caixa não teve acesso ao valor desde o primeiro semestre, quando as cotas foram liberadas para pessoas acima de 60 anos. “Até o final de setembro eu consigo esse dinheiro, tenho fé.” Na primeira etapa do cronograma, encerrada no dia 29 de junho, 1,1 milhão de trabalhadores fizeram o saque, retirando uma soma de R$ 1,5 bilhão. Quem fizer o saque agora receberá o valor reajustado em 8,97%.

Henry Ponti, 60, saiu quinta-feira (16) da agência do Banco do Brasil na região central, comemorando sua cota no Pasep. Ele trabalhou na Urbes — Trânsito e Transporte por vários anos e por isso recebeu um bom valor. “Faço aniversário amanhã (17) então foi um baita presente esse dinheiro.” Ponti conta que o valor do fundo vai ajudar a pagar contas e até mesmo garantir a ceia de Natal e presentes.

Quem tem direito

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em julho, o pagamento foi suspenso para o cálculo do rendimento do exercício 2017-2018.

Leia mais  Saques deste ano do PIS/Pasep serão retomados em agosto

Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites do PIS e do Pasep. Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa Econômica Federal no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Comentários
Assuntos