Economia

Batata tem maior alta de preço e o feijão maior baixa em Sorocaba

O frango e carne suína continuam sendo opções econômicas à carne bovina
preço da cesta básica
A batata subiu mais (8,8%), de R$ 4,30 o quilo para R$ 4,68. Crédito da foto: Pxhere

O feijão carioca apresentou a maior queda de preço entre os 34 itens da cesta básica sorocabana em junho, pesquisados pela Universidade de Sorocaba (Uniso). A redução foi de 22,2%, passando de R$ 6,91 o quilo em maio para R$ 5,37 em junho, na média.

Por outro lado, a batata subiu mais (8,8%), de R$ 4,30 o quilo para R$ 4,68. O café também subiu em junho (3,9%), para em média R$ 9,66 o pacote de 500 gramas.

O valor total da cesta básica em Sorocaba no mês passado foi de R$ 608,56, segundo a pesquisa que é realizada pelo Laboratório de Ciências Sociais Aplicadas da Uniso. Na comparação com junho de 2018, houve um aumento de 1,91%, R$ 11,42 pagos a mais pelo consumidor. E em relação com o mês anterior (maio de 2019), a baixa foi de 0,1%, passando de R$ 609,17 para os R$ 608,56, diferença de R$ 0,61. Maio, ante abril, registrou a segunda e maior queda do ano (1,22%), após três altas anteriores.

Leia mais  Distribuidoras poderão vender gás de cozinha diretamente ao consumidor

 

No acumulado de 2019, a cesta sorocabana tem uma alta de 3,82%, enquanto em 2018 foi de 4,03%. A pequena redução do preço da cesta básica em junho de 2019 (-0,1%) foi no sentido contrário ao índice de inflação medido pelo IPCA-15 do mês, que apresentou elevação de 0,06%.

Além do feijão carioca, os produtos da cesta que tiveram redução de preço foram o papel higiênico (10,8%), sabão em barra (3%), margarina (2,7%) e ovos (0,9%). Dos 34 itens pesquisados na cesta básica sorocabana, 16 deles apresentaram queda.

Boa colheita

O principal motivo para a diminuição de preço do feijão é o aumento da oferta nacional, devido às recentes boas colheitas principalmente na região sul do Estado de São Paulo, conforme o relatório da pesquisa.

O café também subiu em junho (3,9%), para em média R$ 9,66 o pacote de 500 gramas. Crédito da foto: Pxhere

Quanto aos produtos que tiveram as maiores altas estão — fora a batata e o café — a água sanitária (3,88%), alho (3,77%), salsicha (1,97%) e carne bovina de 1ª (1,5%). O excesso de chuvas e a pouca área cultivada prejudicaram a oferta de batata, aumentando o preço. Para a alta do café, os motivos são a redução na oferta mundial e o clima frio no Brasil, que afetou as plantações.

O frango e carne suína continuam sendo opções econômicas à carne bovina, cujo preço médio era R$ 22,34 o quilo em junho. O frango custava em Sorocaba R$ 6,56, na média, e a carne suína R$ 12,94. A pesquisa completa pode ser consultada no site da Uniso. (Da Redação)

Comentários