Economia

Aluguel em Sorocaba supera o de cidades do mesmo porte

Qualidade de vida e grandes empresas valorizam imóveis
Valor do aluguel é maior em Sorocaba e Itu
Em Sorocaba, o preço da locação de apartamentos é maior, na média, que o de casas. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (7/2/2020)

O metro quadrado para locação residencial em Sorocaba, dependendo da região e do tipo de imóvel, pode custar em média R$ 33, o que mostra uma valorização maior do que em cidades de porte semelhante, como Campinas (R$ 31) e São José dos Campos (R$ 26). Itu, na região de Sorocaba, também tem um aluguel valorizado. O levantamento foi realizado pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), com consulta a 941 imobiliárias de 37 cidades.

De acordo com Chrystiane Jordão, delegada regional de Sorocaba do Creci, a cidade conta com um perfil variado de clientes e segundo ela, há imóveis para todos os bolsos e gostos disponíveis no mercado. A valorização na locação de casas e apartamentos tem relação direta com a qualidade de vida oferecida na cidade e de acordo com ela, a presença de muitas multinacionais também ampliam as demandas. “Temos locatários de todas as classes sociais e muitas pessoas também residem em Sorocaba, em busca de qualidade e acabam trabalhando em São Paulo ou cidades da região”, afirma.

As regiões mais valorizadas, destaca Chrystiane, são as zonas sul e também leste. Para casas, o metro quadrado é locado por aproximadamente R$ 20 nas áreas consideradas nobres e o tipo de imóvel mais procurado é o de três quartos. Na região central, conforme o Creci, o preço do m2 varia entre R$ 5,53 e R$ 12,77. Nas demais regiões (norte, oeste e industrial), a média é de R$ 9,83.

Leia mais  Intenção de consumo das famílias sobe em fevereiro, diz CNC

Quando se fala em apartamentos, o perfil de locações coloca Sorocaba com um tíquete maior se comparado a cidades como São José do Rio Preto, Jundiaí e Campinas. Esse tipo de imóvel é o mais procurado e valorizado em Sorocaba, segundo a pesquisa, e que puxa o valor médio do aluguel na cidade para cima.

Valor do aluguel é maior em Sorocaba e Itu
Cidade é bastante procurada por causa de grandes empresas e qualidade de vida. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (7/2/2020)

O município com o m2 mais caro, depois da capital paulista, é Itu, que também integra a Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Na cidade vizinha os preços praticados giram em torno de R$ 38, o que é R$ 5 mais caro que em Sorocaba. A locação de casas em Itu também se mostra mais cara do que em Sorocaba, já que lá o preço médio é de R$ 11,72.

Conforme o levantamento feito pelo Creci, os preços praticados em Sorocaba superam a média das cidades do interior. Nas 37 cidades que participaram da pesquisa, os imóveis com preço entre R$ 10,01 e R$ 15 por metro quadrado de locação são os mais procurados, representando 44,89% das propriedades locadas. Imóveis que custam até R$ 10 por metro quadrado são as escolhas de 25,95% dos locatários.

Por região

De acordo com o levantamento do Creci, o valor médio de locação para casas, de três dormitórios, em região nobre, fica em torno de R$ 3 mil ao mês. Na região central os imóveis mais procurados são as casas de dois e três dormitórios, com valores que variam entre R$ 600 e R$ 1.100. Nas demais regiões da cidade o preço médio é de R$ 600.

Leia mais  Brasil tem quarta gasolina mais cara da América do Sul, mostra ranking

Para quem procura por apartamentos de três dormitórios nas regiões mais valorizadas, como sul e leste, o valor chega aos R$ 5 mil. Já na região central a variação é entre R$ 660 e R$ 800. Nas demais regiões o preço médio cobrado é de R$ 700. “No caso do Centro, em Sorocaba, é algo muito específico. Ou as pessoas amam ou odeiam”, afirma a delegada regional do Creci.

Pesquisa estadual

Os novos inquilinos, de acordo com o Creci, preferiram alugar casas (54,43% do total) a apartamentos (45,57%) em todo o Estado de São Paulo. A pesquisa, divulgada em dezembro, trabalha com dados colhidos até outubro de 2019. Segundo a entidade, os descontos que os proprietários concederam sobre os preços originalmente fixados para locação foram de 10,87% em bairros de áreas nobres, de 11,86% em bairros centrais e de 8,29% em bairros de periferia.

Leia mais  Coronavírus faz empresas exportadoras perderem R$ 48 bi em valor de mercado

Mercado imobiliário está em recuperação

Valor do aluguel é maior em Sorocaba e Itu
Região do Campolim é uma das mais valorizadas de Sorocaba. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (4/1/2017)

Embora não existam dados locais sobre o crescimento das locações e os reajustes praticados em Sorocaba, de acordo com Chrystiane Jordão, delegada regional do Creci, a cidade segue o ritmo do Estado, com o mercado imobiliário em fase de recuperação. “No primeiro trimestre sempre há um aquecimento nas locações, por ser início de ano e muitas pessoas optam por mudanças”, diz ela.

A delegada do Creci recomenda que ao colocar uma casa no mercado para alugar, a negociação seja feita com o intermédio de um corretor profissional. “Quem vai saber ajudar o proprietário a definir o valor ideal é esse profissional qualificado. Não adianta estipular um preço que não condiz com a realidade”, afirma.

Chrystiane lembra também que muitas pessoas adquirem imóveis como forma de investir, seja para posteriormente locar ou vender. “É um investimento palpável e seguro. O imóvel nunca desvaloriza, mesmo durante os período de crise.” (Larissa Pessoa)

Comentários