Economia

Alta do dólar eleva preço do bacalhau

Pescados em geral têm alta de 4% no período da Quaresma; vinhos também subiram por causa do câmbio
Alta do dólar eleva preço do bacalhau
Preço do bacalhau varia entre R$ 40 e R$ 119 o quilo, dependendo do tipo. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (10/3/2020)

A alta do dólar fez subir os preços de vários itens que são consumidos durante a Quaresma e a Páscoa. Os pescados em geral tiveram uma alta de 4%. O tradicional bacalhau, que é o prato principal de muitas famílias na Sexta-feira Santa, pode ser encontrado a partir de R$ 40 o quilo, em lascas. Já o bacalhau do porto, o preço médio é de R$ 119.

De acordo com a Associação Paulista de Supermercados (Apas), a Páscoa é a segunda melhor data do varejo alimentar no Brasil depois do Natal. Na Quaresma — período em que muitos católicos não consomem carne vermelha — o ovo de granja fica ainda mais popular, porém nos últimos 12 meses o item já registrou alta 27,32% no preço.

Os peixes e pescados, conforme a Apas, apresentam uma elevação de preço entre 2% e 4%. “Alguns pescados devem ter a inflação abaixo da prevista, como é o caso do bacalhau, que terá o preço do quilo variando entre R$ 69 e R$ 119, diz o economista da Apas, Thiago Berka.

Vinhos

Para o setor de vinhos, a Páscoa é a terceira melhor época do ano, representando 20% das vendas. Nos últimos 12 meses, porém, o preço da bebida registrou 5,8% de inflação.

Para a Quaresma, a estimativa é que os preços subam até 1,8%. Segundo o economista da Apas, o dólar alto encarece o produto e a demanda no Brasil aumentou, com o consumo chegando a dois litros por habitante ao ano.

Alta do dólar eleva preço do bacalhau
Elvira Camilo não vê necessidade de bacalhau. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (9/3/2020)

No supermercado da Rede Bom Lugar localizado na avenida Ipanema, o bacalhau deve chegar nos próximos dias, mas segundo o gerente da loja, Thiago Nascimento Luzio, a procura por sardinha e atum enlatado, assim como pelos ovos de granja, já cresceram. Em 2019 a unidade comprou 450 quilos de bacalhau e as vendas foram satisfatórias. “Para esse ano já compramos 100 quilos a mais”, revela.

Opções para os clientes

A carne vermelha, porém, continua entre as principais opções dos clientes, pois passou por uma alta no final do ano passado e recentemente os preços voltaram a cair. O preço novamente acessível, segundo Luzio, aumenta a procura por carne bovina. “Nos últimos anos eu acredito que diminuiu um pouco a manutenção da tradição, de se não comer carne vermelha na Quaresma, mas ainda sim a procura pelos peixes congelados cresce neste período”, observa.

No Paulistão da avenida São Paulo, além dos enlatados, os peixes congelados também são opção para quem decide não consumir carne vermelha. A sardinha é um dos mais acessíveis e pacotes com 800 gramas são vendidos por R$ 11,80. O camarão é mais caro — o pacote com 400 gramas custa R$ 63,90.

A cavalinha inteira era a opção mais acessível no Coop da Árvore Grande nesta semana, com o quilo sendo comercializado por R$ 9,49. O pacote com 800 gramas de merluza estava custando R$ 24,99.

Alta do dólar eleva preço do bacalhau
Valmir de Arruda pesquisa preços com antecedência. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (9/3/2020)

Com bacalhau disponível durante todo o ano, a banca de Tereza Henna, no Mercado Municipal, está pronta para receber os clientes. “O preço variou um pouco porque é muito influenciado pelo dólar, mas o bacalhau é uma tradição e muita gente não abre mão”, disse ela, lembrando que é possível preparar receitas saborosas com uma quantidade pequena do ingrediente principal. “Dá para fazer suflê, colocar bastante legume na bacalhoada. Vai depender do talento da cozinheira”, considera.

Leia mais  Walmart encerra as atividades em Sorocaba

 

Nos próximos dias, conta Tereza, mais mercadoria deve chegar e o bacalhau deve tomar conta de sua banca. “Na Semana Santa a procura aumenta demais e eu já fiz uma grande encomenda aos fornecedores para não faltar”, avisa. “A gente trabalha com a tradição e com a qualidade, então sabemos que as vendas serão muito boas”, afirma a comerciante. As opções de bacalhau variam entre R$ 48 e R$ 110 o quilo.

Pesquisando

Alta do dólar eleva preço do bacalhau
Peixes congelados, como merluza, são opções mais econômicas. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (9/3/2020)

A depiladora Shirley Maria dos Santos conta que já tem o hábito de consumir peixe uma vez por semana e que ovos de granja também fazem parte da sua dieta. “A gente sente o preço mais alto nessa época, mas o bacalhau, que é mais caro, eu deixo só para a Sexta-feira Santa e até lá vou pesquisando.”

O aposentado Valmir de Arruda também faz questão de ter o bacalhau na data religiosa e por isso já está de olho nos preços. “Já vi por R$ 60, R$ 80, R$ 100, depende da qualidade, mas vou comprar sim”, afirma.

A dona de casa Elvira Camilo diz que consome bastante carne de frango e também peixe, mas prioriza os mais em conta. “Bacalhau é mais difícil por conta do preço, mas acabo escolhendo uma sardinha, merluza, esses mais acessíveis e também ajudam a manter a tradição.” (Larissa Pessoa)

Comentários