Economia

Alcolumbre não votará reforma tributária própria da Câmara

Qualquer proposta votada pelos deputados sem a participação de senadores e do governo vai ser engavetada

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiu ao movimento da Câmara de pautar uma reforma tributária própria e ignorar a comissão mista criada para discutir a medida com o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em discurso no Senado nesta quarta-feira (15), Alcolumbre prometeu engavetar qualquer proposta que seja votada pelos deputados sem a participação dos senadores e do governo.

“A Câmara tem legitimidade para votar a PEC 45 (dos deputados), mas se o Senado não estiver inserido, e foi esse o intuito na comissão mista, a PEC vai ser votada na Câmara dos Deputados e não vai tramitar no Senado Federal”, declarou.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pautou uma reunião da comissão exclusiva de deputados para debater a reforma nesta quinta-feira (16), às 10h. Com isso, Maia deixou de lado a comissão mista de deputados e senadores criada para formular uma proposta comum.

Por trás da reação de Alcolumbre, está um alinhamento com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e uma exigência de que o governo participe da elaboração da reforma no Congresso.

“Se a Câmara não estiver alinhada com uma proposta dos senadores e com a participação decisiva do governo, alguém acha honestamente que sai uma reforma tributária sem a participação do governo?”, questionou o presidente do Senado. (Estadão Conteúdo)

Comentários