Economia

A comida em casa com apenas um clique

Muitos restaurantes e lanchonetes atendem apenas pela internet, sem loja física
Rodrigo fechou as portas físicas e abriu as virtuais. Crédito da foto: Emídio Marques

Até há alguns anos, o serviço de delivery era popular principalmente entre as pizzarias — e os pedidos eram feitos por telefone; isso mudou, e muito. Hoje há um leque muito grande de opções para quem quer a facilidade da comida pronta entregue em casa, sem precisar se deslocar. Apenas em Sorocaba há mais de 400 estabelecimentos que recebem pedidos online, seja por sites próprio ou aplicativo. Plataformas como iFood e Uber Eats permitem ao cliente navegar por uma infinidade de restaurantes e lanchonetes e escolher, com um clique, qual será a refeição que vai ser entregue em seu domicílio.

Um levantamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostra que metade dos restaurantes e lanchonetes atendidos pela instituição em todo o País oferecem delivery, para dar mais comodidade ao cliente. Ainda segundo a pesquisa, 12% não possuem loja física, trabalhando exclusivamente por meio de entregas, sem portas abertas para a rua.

Redução de custos

O Sushi Prajá é um exemplo de restaurante que teve início atendendo com salão e atualmente é 100% delivery. O proprietário, Rodrigo Marques, 33 anos, conta que a marca existe há sete anos e que ele a adquiriu há quatro. “Quando comprei, o restaurante estava falido, mas a marca era consolidada na cidade e resolvi apostar. Com o tempo percebi que focar na entrega era mais vantajoso, pois manter o atendimento em salão é muito mais caro. De um ano e meio para cá estamos trabalhando só com delivery e agora a meta é ampliar para outras cidades”, conta o empresário.

Fabrício usa uma empresa terceirizada para as entregas, que aumentaram bastante . Crédito da foto: Emídio Marques

Marques conta que a decisão de fechar o salão e ampliar o delivery deu muito certo, pois ele eliminou gastos fixos com enxoval (toalhas, guardanapos, etc), manutenção do espaço e funcionários para atendimento. “Ampliei meu número de entregadores, que são 14, e mudei a sede da empresa, saindo na rua Amazonas e indo para a Rua Ubirajara, na Vila Progresso. O espaço é bem maior e atende melhor às nossas necessidades”. Hoje a empresa tem 35 funcionários.

É possível fazer pedidos em contato direto com a Sushi Prajá ou então solicitar através do app iFood. Marques explica que, desde que adquiriu a marca, é parceiro da plataforma de delivery e que o principal atrativo é a conquista de novos clientes. “Ali a pessoa está em um shopping da comida e mesmo que nunca tenha ouvido falar do meu restaurante, ela pode acessar o cardápio e conhecer.” Conta ainda que metade dos pedidos são feitos pelo app, com pico de sexta-feira até terça-feira. “Os dias mais fracos são quarta e quinta, com média de 160 pedidos.” Por mês, o restaurante faz entre 5 mil e 6 mil entregas em todas as regiões de Sorocaba.

Facilidade

Quem também aposta no delivery é o empresário Fabrício José de Oliveira, 31, proprietário da N.Fit. Desde que iniciou o negócio, em março do ano passado, ele já oferecia a possibilidade da entrega – ele diz que o recurso é cada vez mais usado pelos clientes, correspondendo hoje a 70% das vendas. “Nós oferecemos comida saudável ultracongelada, não é marmita fit, como há bastante no mercado. Oferecemos também o ganho de tempo ao cliente, e o delivery é um complemento dessa ideia.”
Oliveira lembra que, no início, a loja física era bastante procurada, mas com o passar dos meses, fidelizando os clientes, os pedidos de delivery aumentaram e hoje a média diária é de 13 entregas. “Nossas entregas são feitas por uma empresa terceirizada e o pico é na segunda-feira”, conta. Além da loja física, a N.Fit tem uma loja online, onde o cliente pode colocar os itens na cesta e fazer o pagamento por cartão de crédito ou no momento da entrega, que pode ser agendada. Em compras acima de R$ 150 a entrega é gratuita e esse recurso, afirma foi uma tática adotada para aumentar o ticket médio da compra.

Apenas em Sorocaba há mais de 400 estabelecimentos que recebem pedidos online

Aplicativos como iFood e Uber Eats crescem em todo o Brasil

Com o celular na mão, a coordenadora de mídia Vanessa Cepil Tenor, 28, pesquisa vários restaurantes, principalmente para pedir o almoço. Ela conta que tem quatro aplicativos de delivery e sempre testa novas opções. Promoções e frete grátis, destaca, são determinantes na escolha. “Restaurantes novos nos aplicativos costumam ter mais promoções e por isso são sempre os meus escolhidos”, conta.

Vanessa utiliza apps de delivery pelo menos duas vezes na semana e comida japonesa está entre as favoritas. “Também peço bastante lanche, comida indiana e bebida”, conta. Além dos mais populares, como iFood e Uber Eats, ela também utiliza a Rappi Brasil, que reúne restaurantes e lojas, como supermercados, farmácias e petshops.

Vanessa usa aplicativos de delivery toda semana. crédito da foto: Erick Pinheiro – Arquivo JCS (18/11/2016)

Tecnologias

O iFood é a foodtech líder na América Latina, com operações no Brasil, México e Colômbia e está presente em 483 cidades brasileiras, segundo Lucas Passos, diretor comercial da rede. O executivo conta que a plataforma, lançada em 2011, viabiliza 12 milhões de pedidos mensais, olhando para todas as pontas da cadeia: consumidor, restaurante e entregador.

A plataforma possui dois planos para o restaurante que quer ser parceiro, oferecendo mensalidade grátis no primeiro mês. No pacote básico o restaurante paga uma taxa mensal de R$100 e comissão de 12% no valor do pedido. Caso o pedido seja pago no aplicativo, será cobrado um adicional de 3,5%. Neste pacote, o restaurante é o responsável pela entrega das refeições.

A outra opção disponível custa R$130 por mês, com comissão de 27% no valor do pedido. As entregas, porém, são de responsabilidade do aplicativo.

Passos diz que os restaurantes crescem, em média, 50% nos primeiros seis meses que passam a utilizar a plataforma e que há mais de 50 mil estabelecimentos cadastrados. “Temos cerca de 30 tipos de culinária, diversas opções de refeições para todas as ocasiões, como café da manhã, almoço, jantar – e sobremesas como sorvetes. São opções para todos os gostos e bolsos”, conta o diretor comercial. O iFood conta com aproximadamente nove milhões de consumidores cadastrados.

Desde novembro de 2018 Sorocaba também conta com o Uber Eats. Delon White, diretor-geral da plataforma no Brasil, explica que o aplicativo está presente em mais de 35 países e, no Brasil, surgiu em 2016, em São Paulo. Em 2018, o app chegou a 30 cidades brasileiras. Semelhante ao iFood, o Uber Eats conecta clientes, restaurantes e entregadores, que podem fazer as entregas de carro, moto ou bicicleta. “O restaurante que contrata o Eats não precisa mais se preocupar com o controle dos horários dos motoboys ou com o acompanhamento das rotas”, afirma. O Eats e o iFood estão disponíveis para smartphone Android e iOS. (Larissa Pessoa)

Comentários