Cultura

Grupo Teatral Epidaurus apresenta ‘Show do Zé’

O Grupo Teatral Epidaurus especializou-se em peças e esquetes rápidas, baseadas em improvisação
Grupo Teatral Epidaurus apresenta ‘Show do Zé’
A peça, que terá ainda mais três apresentações, encerra a “trilogia do Zé”. Crédito da foto: Divulgação

O Grupo Teatral Epidaurus encerra a “trilogia do Zé” com a peça “Show do Zé”, que estreia nesta quarta-feira (14), na Biblioteca Infantil Municipal, com entrada gratuita. A peça tem texto e direção de Augusto Roberto e Juliana Felippe. Além dos autores e diretores que também estarão em cena, o elenco conta com os jovens atores Jefferson Fernandes, Rian Felipe, Amanda Almeida e Felipe Henrique, que entraram recentemente para a companhia, e farão sua a estreia no teatro. A sonoplastia e iluminação são assinadas por Mateus Alves.

Zé é o personagem criado pelo Grupo Epidaurus em 2002 e teve origem no espetáculo “Cô Zé nem o diabo pode”, inspirado no filme “Um fofoqueiro no céu” de Mazzaropi. Na trama, o protagonista morre, faz uma breve visita no céu e no inferno e tem a permissão de voltar à Terra para rever seus conceitos e ser uma pessoa melhor. A saga do personagem derivou em na trilogia iniciada em “Zé e a mansão da capivara”, na qual ele retorna à Terra e recebe uma grande herança de seu tio e se torna uma pessoa egoísta.

O segundo episódio estreou em 2013, com “O Natal do Zé”, baseado no clássico “Um conto de Natal”, do inglês Charles Dickens. Na trama, Nossa Senhora aparece diante do personagem e dá o ultimato para que ele busque os três espíritos do Natal: os dos passado, do presente e do futuro. Agora, em “Show do Zé”, o protagonista tenta mudar de vida juntando todas as suas economias para comprar um horário na TV de sua cidade e comandar um programa de televisão. Como parte de sua equipe, ele arregimenta ninguém menos que São Pedro, Jesus, Diabo e Aurora.

Leia mais  Prédios do Palácio dos Tropeiros e Teatro Municipal são tombados em Sorocaba

 

O espetáculo teve seu processo de montagem viabilizado pelo edital de ocupação de espaços culturais, lançado em agosto pela Secretaria de Cultura e Turismo (Secultur), quando então o grupo abriu seleção para um novo elenco. Segundo Augusto Roberto, a companhia teatral sempre prezou por buscar jovens que nunca fizeram teatro, com o objetivo de criar novos atores e novos pensadores teatrais e artísticos, acreditando que dessa forma a arte seja fortalecida e germine novos formadores de opinião.

Sobre o grupo

Criado em 1996, inicialmente com a proposta de montar histórias de caráter Kardecista, o Grupo Teatral Epidaurus especializou-se em peças e esquetes rápidas, baseadas em improvisação. De 1996 a 1999, montou mais de 40 peças, todas em festivais e feiras de Centros Espíritas, tornando-se o grupo de maior referência nessa temática no interior paulista.

Em 2001, o grupo passa-se a se chamar Epidaurus, em alusão ao teatro de arena grego Epidauro, com direção de Augusto Roberto. A partir dessa mudança, o grupo passoua trabalhar peças populares, mas ainda mantendo temas espiritualizados e de amor ao próximo. Além da trilogia de “Zé”, nos anos seguintes, o grupo montou os musicais “Um roqueiro no além” e “Raul Vivo Seixas”.

Serviço

“Show do Zé”, com o Grupo Teatral Epidaurus
Quarta-feira (14), 21/11, 28/11 e 5/12, às 19h30
Biblioteca Infantil Municipal (rua da Penha, 673, no Centro)
Entrada gratuita

Comentários