Cultura

Feira de livros reúne obras de sorocabanos

A Flaus será realizada neste sábado, das 9h às 16h, na praça Coronel Fernando Prestes, no Centro
Feira de livros reúne obras de sorocabanos
O evento é realizado anualmente desde 2017, de forma independente, por iniciativa de um grupo de escritores. Crédito da foto: Divulgação / Prefeitura

“A praça é do povo como o céu é do condor.” A frase extraída do poema “O povo ao poder”, do poeta baiano Castro Alves, se transformou em uma espécie de lema para o grupo de escritores que está à frente da organização da terceira edição da Feira do Livro e Autores Sorocabanos (Flaus), que ocorre neste sábado (21), das 9h às 16h, na praça Coronel Fernando Prestes, no Centro.

Realizada anualmente desde 2017 de forma independente, por um grupo de escritores interessados em divulgar e vender sua produção literária, o evento neste ano não receberá apoio da Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria da Cultura nem de outra pasta. Na verdade, segundo os realizadores, a mera realização, em praça pública, chegou a estar ameaçada pela própria administração municipal, sob a alegação de que o evento tem fins lucrativos e, por isso, demandaria de autorização prévia. “Este ano a feira ganha uma conotação de resistência”, afirma a escritora e produtora cultural Angeles Paredes Toral.

O escritor, professor e historiador Carlos Carvalho Cavalheiro, idealizador da Flaus, assinala que o principal objetivo da feira é dar visibilidade à produção literária local e fortalecer os elos entre os escritores, e que a venda dos exemplares é secundária. “O mais importante é existir essa movimentação, essa rede solidária que está sendo construída entre escritores e produtores das letras, em geral, inclusive para cobrarmos políticas públicas para o segmento”, disse.

Leia mais  Prefeitura de Votorantim deve R$ 33 mil para a entidade Integrar

Por essa razão, acrescenta Cavalheiro, a terceira edição da Flaus é, sim, de resistência. Mas não só. “É também de amadurecimento e união entre os escritores da região”, acrescenta. Neste ano, além do varal de poesias e do sarau aberto a todos os interessados, o evento contará com dois lançamentos e três rodas de conversa.

Das 10h às 11h, a professora Vanessa Marconato Negrão, autora da coluna “Eu já li”, do Cruzeirinho, falará sobre a diferença entre os olhares adultos e infantis na literatura infantil. Das 14h30 às 15h30, com coordenação de Roberto Flores, escritores que vão falar sobre seus respectivos processos criativos. Já das 15h30 às 16h30, o escritor e pesquisador João Paulo Hergesel conduz o bate-papo “Publicações literárias e mercado editorial contemporâneo”.

Nesta edição, um total de 40 escritores devem participar da feira, sendo cerca de 20 deles estudantes da Escola Municipal Matheus Maylasky, que, às 10h, farão o lançamento da coletânea de crônicas “Nossas histórias”. Mais cedo, a partir das 9h15, Angeles Paredes Toral fará o lançamento do seu novo livro infantil “Capim — o cavalinho verde”, com ilustrações de Júnior Caramez. A narrativa será interpretada pela atriz e artista plástica Ana Duarte.

Entre os escritores confirmados na feira estão Ana Cristina Rodrigues Henrique, João Alvarenga, Maria Eduarda Paschoal, Élcio Mário Pinto, Manoel Francisco Filho, Abner Laurindo, Celso Ribeiro Marvadão, Luciano Leite e Sérgio Coelho de Oliveira.

Leia mais  Festival Sorocasa tem mais shows

A participação de expositores é livre e gratuita a todos os escritores da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), sem necessidade de inscrição prévia. Segundo os organizadores, a única regra é que o expositor seja o próprio autor das obras, a fim de evitar a invasão de títulos que possam descaracterizar o enfoque cultural regional da feira.

Além de aproveitar o fluxo de pessoas na região central, o evento, que serve como “vitrine” da produção local, também visa suprir a carência de iniciativas de apoio à produção literária na cidade, já que uma das ações mais consistentes por parte do poder público, a Expo Literária, foi extinta há 10 anos, apesar de ter edições bienais, em ano ímpar, “garantidas” por força da lei municipal nº 9.527.

Diferentemente das duas primeiras edições, a Prefeitura não vai disponibilizar infraestrutura mínima para a feira, como tendas e água potável. As tendas serão cedidas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal), que decidiu apoiar o evento.

Homenagem

Segundo Carlos Cavalheiro, idealizador da Flaus, um dos intuitos da feira é também reconhecer e valorizar a trajetória de personalidades que contribuem com a leitura e a literatura na cidade. O homenageado desta edição é o pesquisador e historiador José Rubens Incao, diretor da Biblioteca Infantil Municipal Renato Sêneca de Sá Fleury. “Pelo importante trabalho histórico em defesa da cultura de Sorocaba”, disse a escritora Angeles Paredes.

Leia mais  Vacinação contra a gripe acontece em 34 locais de Sorocaba

A primeira edição homenageou o escritor e agitador cultural sorocabano Armando Oliveira Lima e a segunda o professor e colunista do Mais Cruzeiro João Alvarenga. (Felipe Shikama)

Comentários