Cultura

‘É tudo verdade’ abre festival on-line, com 50 horas de programação

Tradicional festival de documentários que está completando 25 anos de atividade, o “É tudo verdade”, atendendo às recomendações sanitárias para prevenção e contenção da pandemia do coronavírus, decidiu fazer o evento de duas formas. Mantendo a data de abertura, mas em formato on-line. E, em uma segunda fase, ainda sem data definitiva, com a participação do público. O festival está marcado para ocorrer a partir da próxima quinta-feira, dia 26.

Até 5 de abril, com alguns ciclos estendendo-se até 23 de junho, o “É tudo verdade 2020” terá cerca de 50 horas de programação, brasileira e internacional, inédita e clássica, em 30 títulos distintos de longas-metragens, curtas e séries. A programação acontece em parceria com o site do Itaú Cultural, o Spcine Play e o Canal Brasil Play.

De 24 de setembro a 4 de outubro acontecerá o festival presencial no circuito de salas de cinema e de instituições culturais, em São Paulo e no Rio de Janeiro, com as projeções dos títulos inéditos das mostras competitivas e dos programas especiais, assim como debates e palestras.

Leia mais  Dupla sertaneja cancela 'live' após equipe registrar casos de covid-19

Programação

Na parceria com o site do Itaú Cultural, o “É tudo verdade” apresenta a série inédita e restaurada “A herança da coruja”, do cineasta francês Chris Marker, o ciclo “A situação cinema” com cinco longas brasileiros sobre a fruição cinematográfica, e três longas-metragens e um curta-metragem da mostra “Os primeiros premiados”.

Na Spcine Play, o festival digital exibe o ciclo “As diretoras no ‘É tudo verdade’”, com dez longas-metragens dirigidos por cineastas que marcaram a história do festival, incluindo o inédito “O segundo encontro” de Veronique Ballot; apresenta três longas-metragens e seis curtas da mostra “Ano 1 — A safra brasileira no ‘É tudo verdade’ 1996”, e ainda celebra a memória do cineasta José Mojica Marins (1936-2020) com dois documentários sobre o criador do Zé do Caixão.

Já no Canal Brasil Play serão disponibilizadas as duas temporadas da série “Cineastas do real”, com 26 entrevistas com alguns dos principais documentaristas brasileiros, realizadas por Amir Labaki, diretor-fundador do “É tudo verdade”.

Toda a programação pode ser acessada nos sites www.etudoverdade.com.br; www.itaucultural.org.br; www.spcineplay.com.br e https://globosatplay.globo.com/canal-brasil/cineastasdoreal/. (Da Redação, com Estadão Conteúdo)

Comentários