Canal 1

‘The voice’ não terá plateia e presença de familiares é dúvida

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery
‘The voice’ não terá plateia e presença de familiares é dúvida
Crédito da foto: Paulo Belote / Divulgação

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery

Seguem os trabalhos, ainda em home office, para a volta de programas, realities e novelas da Globo, quase tudo paralisado há meses, como parte de várias medidas de prevenção.

Um dos principais da grade, o “The voice Brasil”, apresentado por Tiago Leifert, com participações de Lulu Santos, Ivete Sangalo, Iza e Michel Teló, ainda não tem o seu desenho inteiramente definido, mas a certeza é que não será mais como antes.

Música sempre combina com público, emoção, abraços, beijos… Só que desta vez, será necessário pular essa parte. Plateia, também, sem chance. Torcida só em casa, assim como não é confirmada a presença de familiares nos bastidores. Quem sabe, alguma estratégia on-line.

Alguma flexibilização poderá existir se até outubro, em seu lançamento, a possibilidade de dispensar alguns desses cuidados passar a existir.

Leia mais  Programa de Angélica já tem período de exibição definido

De um lado… – Record e Globo, na parte que toca o entretenimento, até agora não conseguiram colocar um programa em pé, especialmente os que envolvem participação do público. Tudo está sendo estudado para que essa volta aconteça da melhor maneira possível. De forma segura e cautelosa. A ordem é não correr risco nenhum.

… Mas por outro – Bandeirantes, SBT e Rede TV! já voltaram praticamente com tudo. Devem ter descoberto um caminho, que Record e Globo ainda não conhecem. E o curioso é que as produtoras independentes também ainda estão proibidas de operar. Tempo ao tempo.

Olha que interessante – As duas principais audiências da Rede TV!, “Encrenca” e “Operação de risco”, são produções com custo praticamente zero. Valem-se apenas do conteúdo. Televisão é meio isso.

É hoje – Logo mais, 22h30, na Record, Sabrina Sato vai anunciar o vencedor do “Made in Japão”, aquele que vai levar o prêmio de 500 mil reais. Ao vivo. E isso se cercando de todos os cuidados possíveis.

Leia mais  Fora de lá, José Mayer continua muito presente nas novelas da Globo

Expectativa – A dramaturgia da Globo não descarta a possibilidade de “A morte pode esperar”, de Mauro Wilson, estrear ainda este ano no lugar de “Salve-se quem puder”. O texto está bem adiantado e a escalação quase completa. Só depende do início da produção.

Mais para frente – São grandes as possibilidades de a Band não estrear em julho a reprise de “Floribella”. A novela, que tem Juliana Silveira como protagonista, só deverá entrar no ar entre agosto e setembro. No momento, está em exibição a portuguesa “Ouro verde”.

Comentários