Canal 1

“Segundo sol” ficará na história pelo bom desempenho do seu elenco

Destaques, nem poderia ser diferente, para Adriana Esteves e Deborah Secco

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery

Daqui uma semana a Globo vai encerrar a exibição de “Segundo sol”. Irá ao ar seu último capítulo, com a reprise de sempre, no sábado.

Foi uma má novela? Não foi. Poderia ser melhor e se esperava mais do João Emanuel Carneiro, que ainda não conseguiu repetir ou ao menos se aproximar do sucesso de “Avenida Brasil”. Mas se em vários momentos a história não andou como deveria, e até deixou a desejar, desde o seu começo “Segundo sol” teve um trabalho muito bom do diretor Dennis Carvalho e equipe, além de um desempenho acima da média da maioria do elenco.

Destaques, nem poderia ser diferente, para Adriana Esteves e Deborah Secco. Conseguiram representar tudo que Laureta e Karola tinham a oferecer, ao contrário de Giovanna Antonelli e Letícia Colin, que apesar de momentos muito bons, em boa parte do tempo estiveram limitadas às características ou vai e vem de suas personagens.

E, a não ser que algo absolutamente extraordinário aconteça nos seus últimos capítulos, “Segundo sol” ficará marcada não pelo texto, mas pelo que sua equipe conseguiu oferecer.

Leia mais  Novo trabalho

Sob pressão

Estômago
Crédito da foto: Paulo Belote / Globo

Em “Sob pressão”, capítulo desta terça-feira, mesmo a contragosto da nova diretora do hospital, Samuel (Stepan Nercessian) precisa substituir Rafael (Tatsu Carvalho) numa cirurgia de emergência. O neurocirurgião passa mal e a culpa é da nova comida que Renata (Fernanda Torres) contrata para o hospital, parte do esquema que ela inicia em sua gestão. Esta temporada da série vai até 18 de dezembro.

Cadê a direção?

“A fazenda”, em cartaz, além de um time que deu liga — mea culpa da coluna, teve na escolha do Marcos Mion o seu grande ponto a favor. O problema do programa é fragilidade da sua produção. A prova do fazendeiro, com aquela história dos baldes, foi uma das coisas mais pobres de imaginação que a televisão apresentou nos últimos tempos. Tem muito que melhorar por aí.

Poderoso assim?

Entre os ânimos tão acirrados desses últimos dias, teve quem entendesse que o extinto “CQC” contribuiu para Bolsonaro se eleger presidente da República. Isso por causa de uma entrevista dele exibida há sete anos. Sendo isso verdade, melhor chamar o “CQC” de volta. Ele tem coisas a acertar.

Contrassenso

Ontem, durante boa parte do dia, sob os auspícios da sua alta direção, o SBT promoveu um evento sobre Inovação. Para uma TV que tem “Chaves” e se arrasta com novelas mexicanas, pode ser uma.

Leia mais  Trabalho encerrado

Única coisa

Assim como o SBT, a Band é outra que não tem nada planejado para o ano que vem. A única novidade até agora é “O aprendiz”, mas ainda assim um programa de temporada e em parceria com Roberto Justus.

Última forma

A Record até autorizou, mas um compromisso familiar não vai permitir a presença do Gugu Liberato no Teleton, em nenhum dos dois do programa. Ele estará em Orlando, comemorando o aniversário do filho, João Augusto, que completa 17 anos.

Festa fechada

Miriam Rios vai comemorar os seus 60 anos de vida, dia 9, com uma festa no “The History”, casa temática da disco music. Serão só 50 pessoas muito próximas. O tema, flashback dos anos 80.

Tá complicado

Os convidados são sempre muito bons, mas quem assiste ao “Conversa com Bial”, na Globo, ou tem problema com insônia ou nada para fazer no dia seguinte. Quarta-feira, por exemplo, começou quase uma e meia da manhã. Como pode? E foi muito boa a entrevista com Fábio Assunção.

Leia mais  Coronavírus: trabalho realizado na dramaturgia da Globo é elogiado

Outra loucura

Um dos bons produtos da Rede TV! é o “Documento Verdade”, sempre destacando assuntos interessantes. O de logo mais vai mostrar o correspondente Luciano Jr. visitando a casa de Nostradamus no sul da França e depois na Bulgária, onde viveu a profeta Baba Vanga. Tudo isso junto com o “Globo Repórter”, programa com as mesmas características, líder de audiência no horário. Será que não pensam?

Torneio

O BandSpots vai cobrir o Next Gen, torneio na categoria simples, que ocorre em cinco dias, em quadras duras, cobertas, com os melhores jogadores da temporada até 21 anos. Torneio que é disputado com várias alterações nas regras. Começa na terça-feira.

Comentários