Brasil Esporte

Suspeito diz que objetivo de empresário era castrar o jogador Daniel

O rapaz estava com Brittes no carro que levou o atleta ao local onde foi morto
Edison Brittes confessou o assassinato do jogador. Foto: Reprodução

Um dos suspeitos de participar do assassinato do jogador Daniel Freitas, que atuava por empréstimo no São Bento, em Sorocaba, disse nesta segunda-feira, 12, à Polícia Civil do Paraná que o empresário Edison Brittes, apontado como principal autor do crime, levou o atleta a um matagal com o objetivo de castrá-lo.

Um dos seis suspeitos de participar do crime, Eduardo Henrique Silva, de 20 anos, foi o que depôs nesta segunda. Ele confirmou seu envolvimento, segundo a defesa. “Eles se associaram para fazer uma castração da vítima. Houve convite do Edison Brittes para que fossem juntos para segurar o Daniel para que esse pudesse fazer a castração”, disse Edson Stadler, advogado de Silva.

Leia mais  Família de empresário será indiciada pela morte de Daniel
Leia mais  Laudo aponta ferimentos por arma branca no meia Daniel, morto em Curitiba

O rapaz estava com Brittes no carro que levou o atleta ao local onde foi morto. No depoimento, Silva disse que se soubesse que o empresário iria matar Daniel não o teria acompanhado. O suspeito é primo de Cristiana, mulher de Brittes.

A defesa dos outros dois jovens que estavam no veículo nega esta versão. O corpo do jogador foi encontrado com sinais de espancamento e o pênis decepado. (Estadão Conteúdo)

Comentários