Brasil Covid-19

SP pede voluntários para a linha de frente

Governo fala que já há hospitais colapsados no Estado e anuncia que um novo hospital de campanha será aberto
SP pede voluntários para a linha de frente
Jean Gorinchteyn afirma que situação é de guerra e pede ajuda. Crédito da foto: Vinicius Nunes / Arquivo Agência F8 / Estadão Conteúdo

Com três pacientes sendo hospitalizados a cada dois minutos por Covid em São Paulo, o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, voltou a manifestar preocupação sobre um possível colapso no sistema e fez um apelo para atrair voluntários para atuar na linha de frente. “Nós precisamos (de) ajuda, porque estamos em guerra.” Ainda ontem, um estudo da Dasa e da Universidade de São Paulo (USP) mostrou que a variante amazônica (P.1), mais transmissível, já predomina na Grande São Paulo

“Algumas unidades, infelizmente, já colapsaram”, lamentou Gorinchteyn, sem detalhar hospitais ou localização. “Não queremos que as pessoas morram sem assistência. O mínimo que podemos dar é dignidade. Nem que a gente coloque em qualquer lugar o cilindro do oxigênio, que distribua a pessoa até mesmo nos corredores.”

“Vamos continuar abrindo leitos e vagas dentro dos hospitais. Abriremos em qualquer local desses hospitais, seja nos anfiteatros, seja nos laboratórios e seja nos corredores”, disse Gorinchteyn. Ao lado dele, o governador paulista, João Doria (PSDB), destacou que um novo hospital de campanha montado dentro de uma unidade hospitalar já existente será anunciado na próxima segunda. O governo já havia adiantado que negociava a contratação de 130 leitos nas dependências de uma instituição privada na região central da capital paulista. De cerca de 8,5 mil leitos que o Estado prevê em funcionamento até o fim de março (hoje são cerca de 8 mil), mais de 1/3 são vagas particulares alugadas.

Leia mais  Sorocaba confirma mais 525 casos de Covid-19 neste domingo

Ao falar dessa situação, Gorinchteyn fez um apelo para que conselhos de classe chamem profissionais de saúde a serem voluntários para atuar na linha de frente contra a Covid-19. “Nós precisamos (de) ajuda, porque estamos em guerra.”

No caso de hospitalizações relacionadas ao novo coronavírus, houve aumento de 13,5% na média diária nesta semana, que chegou a 2.066 novos pacientes por dia. Na comparação com três semanas atrás, isso representa elevação de 42,4%. Em óbitos, a média diária da semana é de 273, um aumento de 13,2% em relação à semana anterior. As médias são consideradas parciais, pois não incluem os dados desta sexta e do sábado, fechando a semana epidemiológica.

São Paulo soma 2.093.924 casos e 61.064 óbitos pelo novo coronavírus. A ocupação é de 77,4% em leitos de UTI, média que é de 79,1% na Grande São Paulo. Nas enfermarias, a ocupação é de 59,6% e 66,9%, respectivamente. O número de pacientes internados chegou a 17.802 na quinta-feira, dos quais 9.910 estão em enfermaria e 7.892 em UTIs. (Priscila Mengue e Fabiana Cambricoli – Estadão Conteúdo)

Comentários