Brasil

Shoppings de São Paulo e Rio reabrem com pouco movimento

Os centros de compras estão autorizados a funcionar das 16 às 20 horas durante a fase dois (laranja) do Plano São Paulo
Shoppings em SP podem funcionar por 4 horas. Crédito da foto: Nelson Almeid / AFP

No primeiro dia de reabertura dos shoppings na cidade de São Paulo, houve estabelecimento que já funcionava antes do horário combinado com a Prefeitura, assim como teve também centro comercial que viu aproximadamente um terço dos seus lojistas optarem por não abrir as portas ontem, véspera do Dia dos Namorados — uma importante data para o comércio.

Os centros de compras estão autorizados a funcionar das 16 às 20 horas durante a fase dois (laranja) do Plano São Paulo, em que a operação só é permitida durante quatro horas por dia. O Estadão visitou seis shoppings na capital paulista e, no geral, os estabelecimentos respeitaram a maioria dos protocolos exigidos pelo governo, especialmente no que diz respeito à higiene pessoal e organização do fluxo do público, cujo limite é de 20% da capacidade.

Leia mais  Com dez atletas positivados, Goiás começa mal o Brasileirão

Rio de Janeiro

Quarenta shoppings abriram nesta quinta-feira (11) no Estado do Rio, uma semana antes do previsto e após quase três meses fechados para conter o avanço da Covid-19, segundo a Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce), elevando para 385 o número de estabelecimentos em operação no País. Há 577.

O shopping Rio Sul, um dos mais antigos da capital, na zona sul, decidiu manter a previsão de abrir apenas no dia 16, como previsto. Outros muito frequentados decidiram reabrir, como Norte Shopping, Shopping Tijuca e Nova América, na zona norte, Botafogo Praia Shopping, Shopping da Gávea e Shopping Leblon, na sul, e Barra Shopping, na oeste, entre outros.

Cercados de restrições e com baixa frequência no primeiro dia de operação, a retomada dos shoppings é uma tentativa de manter empregos e a sobrevivência das lojas, que há 83 dias tiveram de fechar por causa da pandemia, avaliou o vice-presidente Institucional da Multiplan, Vander Giordano. (Estadão Conteúdo)

Comentários