Brasil

‘Não tinha tanta vacina disponível’, afirma Jair Bolsonaro

Neste sábado (3), Bolsonaro afirmou que, pelo segundo dia consecutivo, o Brasil vacinou mais de um milhão de pessoas
Presidente tentou explicar o atraso na compra das vacinas. Crédito da foto: Evaristo Sá / AFP (31/3/2021)

O presidente Jair Bolsonaro tentou justificar neste sábado (3) o fato de o Brasil estar atrás de “alguns outros países” na campanha de vacinação contra a Covid-19. Em transmissão nas redes sociais, ao falar sobre o ritmo de imunização, Bolsonaro disse que não havia “tanta” vacina disponível no ano passado, alegando que as condições não seriam favoráveis para o fechamento de contratos.

“O que se oferecia para a gente, o contrato não era possível de se assinar daquela forma, e bem como não tinha a aprovação da Anvisa”, disse o presidente, ao lado do novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto. “O Brasil é um dos primeiros países em vacinação, estamos atrás apenas de alguns outros países, que começaram a vacinar no ano passado. Compramos vacinas no ano passado, não tinha tanta vacina disponível assim”, disse o presidente.

Mas a tentativa de Bolsonaro de responsabilizar laboratórios pela falta de oferta de vacinas no Brasil esbarrou na demora do próprio governo em fechar acordos com os fabricantes.

Leia mais  Mariana: pesquisadores encontram metais tóxicos em peixes do Rio Doce

Neste sábado (3), Bolsonaro afirmou que, pelo segundo dia consecutivo, o Brasil vacinou mais de um milhão de pessoas. “E esse número tende a crescer”, afirmou. Bolsonaro fez a transmissão ao vivo durante uma visita à Casa de Maria Beth Myriam, que distribui sopas em Itapoã, região administrativa do Distrito Federal.

Apesar da mudança de tom sobre a vacinação, Bolsonaro repetiu sua crítica a governadores que adotam medidas de distanciamento social para reduzir a transmissão da Covid-19. O presidente afirmou que há “cada vez mais desemprego com a política do feche tudo”, e avaliou que a grande parte dos prefeitos não concorda com esse tipo de política. (Da Redação)

Comentários